Objetivo


segunda-feira, 21 de agosto de 2017

DELEGACIAS INFERNIZAM A VIDA DE MORADORES DA PITUBA

As duas delegacias: DHPP , de Homicídios e a de Tóxicos.
A nossa cidade do Salvador é um exemplo claro do que acontece nas demais cidades de nosso país. Aqui não se obedece ao zoneamento, e tampouco ao Plano Diretor que estabelece quais  equipamentos podem funcionar em determinadas ruas, avenidas ou praças, limita o tipo de habitação etc. Em Salvador se constrói e se estabelece ao bel prazer. Se o comerciante tiver alguém com influência na administração da Cidade ou do Estado  instala até uma boate, tipo inferninho,  ou mesmo um boteco barulhento em ruas residenciais, infernizando a vida dos moradores.
Carros apreendidos .muitos metralhados
são estacionados nas ruas em locais
proibidos.
O maior exemplo do que afirmo é a presença de duas delegacias de polícia: A Delegacia de Homicídios (DHPP) e a Delegacia de Tóxicos num prédio na rua das Hortênsias, local inapropriado porque estão vizinhas de um hospital cardiológico e de duas escolas, e cercadas por casas ,portanto residências uni-domiciliares. O pior é que transformaram as ruas adjacentes em depósitos de carros metralhados e aprisionados em suas operações policiais. São dezenas de veículos de todos os tipos estacionados em locais proibidos, desobedecendo a lei de trânsito e causando sérios transtornos na  mobilidade social e aos moradores.
Muitos desses carros  tomados de criminosos estão com os pneus furados, vidros quebrados, servindo de depósito de águas paradas e proliferação de mosquitos. No começo deste mês uma equipe encarregada de combater a dengue e a zica confirmou a este repórter a presença de muitos mosquitos no interior do prédio das delegacias, e também nos carros estacionados nas ruas.
RUAS ESTREITAS

As ruas do final do bairro da  Pituba são geralmente estreitas e não foram planejadas para receber grande quantidade de veículos. Atualmente, devido a presença das delegacias triplicou o número de carros nessas ruas a ponto de em determinados momentos ser impossível os moradores entrarem com seus carros em direção às suas casas. 
Vários conflitos já ocorreram entre moradores e estranhos que entram nestas ruas tentando estacionar,  e como não encontram uma vaga ficam no meio da rua impedindo que outro veículo passe. A maioria dos estranhos é composta de  funcionários das delegacias , advogados e pessoas com parentes presos ou que vão prestar depoimentos como vítimas, testemunhas ou autores de delitos. 
Carro apreendido com água na capota  local
adequado para proliferação de mosquitos
da dengue e da zica
Sabemos que os crimes contra o patrimônio e de tráfico de drogas estão crescendo exponencialmente , assim podemos aquilatar o número de pessoas que se dirigem a estas delegacias.

IRREGULARIDADES

Viaturas estacionadas na ladeira da rua
das Hortênsias onde tem placas de  proibição
.

Na rua Vale Cabral, por exemplo, composta essencialmente de casas foi concedido um Alvará de Construção pela SUCOM na administração do então prefeito Antônio Imbassahy para a construção de um prédio de seis andares, ora em construção, desobedecendo o Plano Diretor da Cidade e causando os transtornos com a sua presença na pequena rua.
Também, o prédio onde estão funcionando as delegacias o edf. Antônio Silvany, na rua das Hortênsias,número 274,  ficou interditado  durante anos , porque segundo informações que correm entre os moradores,o imóvel desobedeceu ao gabarito com a construção de mais dois andares, além do projeto original aprovado.
Depois de passar anos interditado os donos conseguiram alugar o prédio ao Plano de Saúde do Banco do Brasil - Cassi, que passou por lá um bom período, e em seguida foi ocupado pelas delegacias. Portanto, a interdição desapareceu misteriosamente com o aval político. Esta é a

Postar um comentário