Objetivo


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

A POSSE E AS REFORMAS NECESSÁRIAS

Raquel Dodge disse que será dura com  criminosos
Tomou posse hoje a nova Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, e assim termina o conturbado mandato de Rodrigo Janot e sua obsessão em punir o Temer. Não acho que o Temer seja santo, e que não deva ser investigado. Concordo que ele deve ser investigado, mas é claro, não  podemos colocá-lo no mesmo patamar do Lula .
O barbudo é hors concurs tal a sua liderança maléfica exercida durante trinta anos pregando o ódio; mentindo, inclusive tem vídeo ele se orgulhando de mentir para os franceses sobre o número de menores abandonados no país; pregando ainda a divisão entre brasileiros pobres e ricos, brancos e negros, hétero e homosexuais; tentando destruir valores familiares, religiosos e o respeito entre professores e estudantes incentivando a ocupação de escolas através de seus seguidores, chefes e subordinados etc. 
Isto ficou patente quando os petralhas foram retirados do poder e os seus seguidores vieram  às ruas , invadiram escolas e até mesmo Brasília onde incendiaram ministérios e causaram o caos na cidade.Não podemos esquecer a atuação dos petralhas em São Paulo e Rio de Janeiro vandalizando e enfrentando os policiais 
Agora saiu um estudo do economista francês esquerdista Thomas Piketty ,que era venerado por eles desconstruindo a falsa notícia de que  teriam tirado 30 milhões de pessoas da miséria no Brasil. 
 "O crescimento da renda da população mais pobre no Brasil nos últimos 15 anos foi insuficiente para reduzir a desigualdade. Segundo estudo divulgado nesta semana pela equipe do economista Thomas Piketty, famoso por propor a taxação dos mais ricos para reduzir as disparidades na distribuição de renda, a maior parte do crescimento econômico neste século foi apropriada pelos 10% mais ricos da população."
De acordo com o estudo, conduzido pelo World Wealth and Income Database, instituto codirigido por Piketty, a fatia da renda nacional dessa parcela da população passou de 54,3% para 55,3% de 2001 a 2015. No mesmo período, a participação da renda dos 50% mais pobres também subiu 1 ponto percentual, passando de 11,3% para 12,3%. A renda nacional total cresceu 18,3% no período analisado, mas 60,7% desses ganhos foram apropriados pelos 10% mais ricos, contra 17,6% das camadas menos favorecidas.",diz  Wellton Máximo, da Agência Brasil.
Portanto, foi uma redução sem sustento que já começa a se desmoronar com a volta de milhares de famílias para a linha de pobreza. Agora ,que a inflação está controlada e os juros caíram é possível que esta queda diminua.
O Temer vem tentando governar e promover algumas reformas que são impopulares. Nenhum governo popular vai querer fazer reformas para não perder a popularidade. Muitos gritam contra as reformas por completa falta de conhecimento de que o país exige estas reformas, principalmente a Política e a da Previdência para evitar sua falência total.


Postar um comentário