Objetivo


quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

EDUCAÇÃO - A HORA DE ESTUDAR ATRAVÉS DA ARTE

A TARDE – SEXTA-FEIRA, 12 DE AGOSTO DE 1977
Texto: Reynivaldo Brito Fotos: Gildo Lima
“O homem só pode atingir a harmonia do seu ser, portanto a sua felicidade, se não descurarde nenhuma de suas potencialidades.
O predomínio, na escola, do racional, do pensamento abstrato, tende a suprimir o lado afetivo, emocional e instintivo da pessoa humana. E toda a moderna psicanálise está a demostrar a enorme importância do fator afetivo na estruturação de personalidades equilibradas".
                             ONOFRE PENTEADO NETO
A habilidade manual para uma melhor integração -foto

Estamos  assistindo aos poucos uma preocupação dos educadores do país em possibilitar à criança o desenvolvimento de suas potencialidades através de métodos modernos que podem ser resumidos no respeito ao ser humano e à sua capacidade de criação.
Este movimento teve início no Brasil há exatamente 29 anos quando foi criada a Escolinha de Arte do Brasil que proporcionou em julho de 1972 o encontro do Movimento de escolinha de arte – qualquer centro ou instituição que comunga o desenvolvimento o das potencialidades de criação – em busca da liberdade.
Desse encontro surgiram algumas conclusões que vêm sendo postas em prática em quase todos os Estados brasileiros e até em alguns países sul-americanos. Foi criada a Associação Brasileira DE Educação através da Arte, órgão filiado à INSEA-UNESCO, Internacional Society for Education Throug Art, com a finalidade de estimular e valorizar as experiências realizadas pelas escolinhas e grupos de arte, por instituição e pessoas com interesses afins. Cabe ainda a esta associação criar áreas culturais e educacionais visando ampliar a ação deste movimento.
                                                              CONCLUSÕES

Eis aqui algumas das conclusões a que chegaram os organizadores do encontro que são de grande importância. Vajamos: necessidade das escolinhas de arte do Brasil em se constituir num centro revitalizante e gerador das suas idéias de educação através da arte, sendo veiculo dessas idéias os professores que se identifiquem neste processo; necessidade de encontros daquele tipo para se manter a unidade do movimento; necessidade de renovação pela análise e critica constante de experiência que sejam vistas como sínteses criadoras temporárias e suscetíveis de mudança no campo arte-educação; e necessidade da penetração das escolinhas no interior estimulando Centros de Cultura, capazes de favorecer o próprio crescimento da escola e do meio ambiente.
Foram mais ou menos estas conclusões que levaram centenas de pessoas a se preocuparem com o movimento Educação pela arte. Exatamente por crença em todo este ideal que é a Educação através da Arte que um grupo de professores sob a orientação da Secretária de Educação do Município, professores Maria Stela Pita Leite, realizará em Salvador o I Encontro Municipal de Arte e Educação reunindo especialistas de vários Estados brasileiros. Eles debaterão entre os dias 22 e 27 do corrente mês no Retiro de são Francisco as suas experiências com vistas à criação do Núcleo Municipal de Arte e Educação que será a pedra de toque para a adoção de uma política mais abrangente no setor, envolvendo não apenas especialistas, mas também todo o professorado
que deve voltar suas vistas para o desenvolvimento das potencialidades criativas de seus alunos. Será um grande passo para minorar o problema citado pela escola tradicional e coercitiva, onde os valores são impostos de cima para baixo sem a preocupação com a recepção e os resultados desta imposição.
Este núcleo não deve ficar restrito ao pessoal da Secretaria Municipal de Educação e Cultura e muito menos aos participantes e organizadores deste I Encontro de Arte e Educação. Ele deve ser integrado à comunidade baiana para que os adultos e as crianças busquem e encontrem os caminhos que permitam um maior dinamismo deste ideal. O Núcleo pensa na criação, no jovem, no adulto e funcionará no Parque da Cidade, um local privilegiado que se transformará num laboratório natural motivador, na perspectiva de promover o desenvolvimento do ser humano. Na foto acima a criação livre representa arealização da criança.
                                                                             
                                                                              O MOVIMENTO

Explica o professor Onofre Penteado que o conceito de “Educação pela Arte é um movimento cultural que congrega educadores, artistas e professores, secundados por psicólogas, filósofos, sociólogos e críticos de arte tendo por meta integrar o processo criador nas escolas de todos os níveis e tomando como ponto de partida programática a valorização da arte no processo educacional”.
Este movimento nasceu no século XIX quando foram iniciados os trabalhos da psicologia da aprendizagem e a constatação das diferenças individuais do conhecimento das necessidades humanas em termos de estímulos, incentivos e motivações.
Cresceu por sua importância para o desenvolvimento da criança e assim várias disciplinas artísticas foram sendo incorporadas aos currículos escolares em todo o mundo. Os teóricos cuidaram de fundamentá-lo. Os técnicos educacionais em torná-lo realidade, e, hoje, assistindo o crescimento desta escola nova que permite uma maior abertura, flexibilidade, dinâmica e que “representa na sociedade atual em crise, a presença do espírito humanístico que sempre se manifestou ao longo da História”.
Segundo os seguidores do movimento Educação através da Arte são vários seus objetivos: busca a harmonia do homem, o sentimento e a razão, a poesia e a técnica. Procurando desperta a consciência dos valores comunitários, os sentimentos de nacionalidade e de universidade, fins psicológicos e sociais a que visam as praticas criadoras nas escolas. Essas atividades têm por meta a democracia e a paz universal, como diria Herbert Tead (1893-1968), um de seus teóricos.
Diante disto a personalidade do educando deve ser respeitado e repelido qualquer totalitarismo negador da pessoa humana. Isto porque acredita-se que na pessoa humana está a essência das diferenças individuais exigidas por qualquer sociedade aberta.
Os educadores integrados neste movimento aceitam consequentemente os diferentes modelos de expressão e incorporam o pensamento de Edouard Claparède (1873-1940), segundo o qual as sociedades, como os organismos, progridem por diferenciação, pelo processo da divisão do trabalho, e não pela redução de todos os elementos vitais a um tipo único”. Foge, portanto da massificação que a criança sofre diariamente em frente ao vídeo onde são lançados tipos estereotipados que traduzem apenas heróis falsos criados por uma sociedade de consumo. Os educadores estão preocupados em desenvolver o espírito do educando adaptando-o à vida social concebida à maneira democrática, valorizando as aptidões individuais convergindo-as para a felicidade comum.
Estamos assistindo em todo o mundo as manifestações coletivas, inclusive nas bienais e salões de arte contemporâneos. Um trabalho onde são respeitadas as opiniões, onde desaparecem as vedetes e surge o trabalho cooperativo e livre. A arte ganha importância e ocupa desde os primórdios lugar de destaque unto ás ciências como a Matemática e a Física. Não podemos pensar somente no imediatismo do profissional. É preciso cuidar do espírito do profissional e acima de tudo desenvolver suas potencialidades porque assim ele estará mais apto para sua integração social.

                                                               OS EXPOENTES

Diz Onofre Penteado que entre os expoentes do movimento Educação pela Arte podemos destacar Herbert Read, Viktor Lowenfeld, Arno Stern, Pierre Duquet e em nosso País o artista Augusto Rodrigues, fundador da Escolinha de Arte do Brasil, do Rio de Janeiro, que estará presente ao encontro promovido pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Muitos são os artistas que comungam esses pensamentos e muitos deles virão à Bahia para trocarem experiências com seus colegas baianos. Será um encontro de relevo para a educação do município e marcará época porque importantes conclusões serão reveladas e utilizadas no desenvolvimento do Núcleo a ser instalado no Parque da Cidade.
É preciso não esquecer que toda a psicologia moderna atenda para a atividade artística da criança como uma expressão que serve a todos os fins habituais da linguagem: abstração, sonho, comunicação com outros.
Nós comunicadores engajados no processo tecnicista da sociedade contemporânea damos uma supervaloração à linguagem verbal e à expressão por meio de símbolos matemáticos, por serem como diz ainda Onofre Penteado – “mais adequados às abstrações, ao pensamento lógico”. Mas é preciso perguntar se este comportamento é apropriado à natureza da criança como ser humano. Certamente que não, porque a linguagem da criança é do sentimento e é através dos rabiscos que fazem nas paredes, no papel e também nas formas desproporcionais que elas criam, que está seu melhor meio de expressão.
Diz Herbert Read que “uma das principais finalidades da educação deveria ser a de conservar nas crianças o dom que têm de nascença: a intensidade física da percepção e da sensação. “Mas, os métodos irreais aplicados nas escolas é mesmo no seio da família resultam no distanciamento deste dom”,

                                                                         NA BAHIA

Em Salvador, o l Encontro Municipal de Arte e Educação será realizado antes do organizado pela Sobreart, no Rio, e contará com a presença de: Augusto Rodrigues, pernambucano fundador da Escolinha de Arte do Brasil; diretor-técnico dessa instituição, fundador da escolinha de Arte de Recife, presidente de Honra da Sobreart, artista plástico, caricaturista e critico de arte. Nasceu em 1931. Noemia de Araújo Varela, Gaúcha, membro do Conselho Mundial da Insea, diretora do Departamento Pedagógico da Escolinha de Arte do Brasil, vice-presidente da Sobreart e mesmo do Comitê Nacional da OMEP. Zoé Noronha Chagas Freitas, carioca, presidente da Sobreart, vice-presidente da Escolinha de Arte do Brasil e organizadora do I Encontro Latino-Americano de Educação através da Arte. Cecília Fernandez Conde, carioca, diretora do Departamento de Cultura do Conservatório Brasileiro de Música, assessora do Departamento de Cultura da SEC, Rio de Janeiro e membro da diretoria da Sobreart; Ilo Krugli, argentino, assistente técnico do Departamento de Cultura da SEC, Rio, professor das atividades teatrais da Escolinha de Arte do Brasil, autor de peças e ganhador do “Moliére” com o espetáculo “Federico Garcia Lorca – Suas pequenas Histórias”; Lúcia Alencastro Valentim, carioca, técnica em assuntos educacionais do MEC, responsável pelo departamento de Educação Artística; Bartolomeu Campos Queiroz, assessor da Sec. Ed. de Minas, filósofo e especialista na área Arte-Educação; Iara Matos Rodrigues, gaúcha, diretora da Escolinha de Arte da UFRGS; e Cascia Frade, mineira, assistente do Dep. de Cultura da Secretaria de Educação do Rio, professor de Educação Musica e pesquisadora do Folclore, com tese defendida. São esses alguns dos convidados com presença assegurada sem falar em estudiosos baianos em várias áreas que também participarão do encontro promovido pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura.

                                                                 TAMBÉM NO RIO

De 18 a 22 de setembro próximo será realizado no Rio de Janeiro o I Encontro Latino-Americano de Educação através da Arte promovido pelo Ministério da Educação e Cultura, Funarte e Instituto Nacional de Artes Plásticas. Este encontro será executado pela Sociedade Brasileira de Educação através da Arte – SOBREART vinculada à INSEA, International Society for Education Through Arte e Escolinha de Arte do Brasil. Os estudos e debates girarão em torno do tema básico: Arte, Educação e Comunidade, através de conferências, painéis, grupos de estudos liderados por educadores e artistas latino-americanos. Será realizado na Universidade do Estado do Rio Janeiro.
Postar um comentário