Objetivo


segunda-feira, 17 de junho de 2013

BAIXA DOS SAPATEIROS EM RUÍNAS DECEPCIONA TURISTAS

NOSSA CIDADE

Há cerca de uma década já  ficava imaginando a decepção de um turista que manteve o primeiro contato com a Baixa dos Sapateiros através a música de Ary Barroso e, decidiu conhecê-la. Com seus velhos casarões ocupados por um comércio popular e com grande movimento de público àquela artéria importante de Salvador foi se deteriorando através do tempo. Hoje é um simulacro de uma  Baixa dos Sapateiros cantada em versos.
Os cinemas Tupi, Jandaia e Pax  já não mais existem. Seus imponentes prédios estão em ruínas ou semiabandonados, a maioria das lojas fechadas e, as que estão funcionando viraram galpões, onde  os produtos são amontoados em balaios ou grandes tabuleiros para serem remexidos por inadvertidos clientes.
Percorri no ano passado toda a avenida, documentando seus casarões muitos dos quais estão desfigurados ou em ruínas. O Governo está prometendo uma reforma parcial com ações na sede do Corpo de Bombeiros, restauração das fachadas e recuperação de imóveis, instalação de câmeras de monitoramento e melhoria do policiamento. Caberá a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia – Conder  iniciar no próximo mês  a abertura de uma vala para abrigar as redes subterrâneas de energia, telefone e internet. Também, prometem recuperar as praças da Ajuda, São Miguel , dos Veteranos e o Terminal de Aquidabã.
A reforma parcial  que está estimada em R$26,6 milhões não vai revitalizar completamente a Baixa dos Sapateiros  a qual sofreu através dos anos, especialmente nesta última década , um esvaziamento quase que total. A recuperação de seus imóveis exigirá muito dinheiro e, sinceramente, tenho minhas dúvidas se a iniciativa privada estará disposta a retornar ao local e investir pesado por lá.

A anunciada construção de um shopping popular na Barroquinha  já estaria com grande parte de suas lojas adquiridas por comerciantes chineses e coreanos  que vendem produtos contrabandeados no Feiraguai, que fica na periferia da cidade de  Feira de Santana. Portanto, é conversa  fiada de político de que vai abrigar camelôs que hoje ocupam nossas ruas e avenidas dificultando a mobilidade das pessoas e enfeiando a Cidade .

Por falar em camelôs o terminal de ônibus que fica defronte o shopping Iguatemi  está completamente tomado por camelôs. É preciso remove-los urgentemente porque senão ficará mais difícil. A cidade não pode se transformar numa feira livre.

Postar um comentário