Objetivo


quarta-feira, 2 de julho de 2014

DETRAN É UMA PROVA DA MÁ GESTÃO PÚBLICA

A fila cobria a visão dos que estavam sentados
do lado direito
 O serviço do Detran-Ba está um caos. Embora seja um dos órgãos que mais fatura suas instalações e sistema de atendimento remetem ao início do século passado. Basta citar que a Vistoria , que todo veículo usado  utilitário tem que ser submetido, a cada ano, é feita de maneira rudimentar. Você é obrigado a entrar numa fila quilométrica às primeiras horas do dia, por volta das 5 às 6 horas,e espera até os portões serem abertos.Presenciei senhoras idosas também enfrentando aquela situação.
 Em seguida um vigilante vai formando cinco filas paralelas.O proprietário do veículo fica exposto ao sol e chuva à espera dos homens que fazem a tal Vistoria. Com uma etiqueta gomada ele faz os decalques dos números do motor e do chassis usando um grafite e depois cola essas etiquetas num formulário apropriado. Para o vistoriador encontrar esses números ele faz uma verdadeira ginástica, porque cada veículo tem esses números em locais diferentes e escondidos para dificultar roubo. Esta leitura deveria à esta altura  estar sendo  feita através por meio de uma pistola eletrônica ou outra forma mais  moderna. Não conheço o sistema de Vistoria em outros países, mas, com certeza, não deve ser tão atrasado.
Era tanta gente que a câmera do celular não
captou todas as pessoas
Estive no último dia 27 de junho no Detran-Ba. Cheguei bem cedinho para a tal Vistoria. Ao passar pela Vistoria me aguardava o pior. Entrei na Central de Atendimento, que é uma imensa sala com bancos agrupados em dois espaços.Todos estavam ocupados e uma multidão reunida em filas que se cruzavam e ninguém se entendia. Embora tenha direito a atendimento prioritário, devido a minha idade, foi difícil chegar até o local onde atende prioridade. Lá chegando, enfrentei uma dificuldade danada de enxergar a senha num único painel eletrônico, de tamanho reduzido, para aquela imensa sala e, o número de pessoas ali concentradas, porque a fila cobria a visão dos que já conseguiram sentar.
Idosos na imensa fila da falsa prioridade
Depois de mais de quarenta minutos de espera, num calor e barulheira infernais, apareceu minha senha no painel. Me dirigi a um dos guichês, onde uma funcionária, dessas que já está extenuada com seu trabalho desde o primeiro minuto que senta na cadeira.Pediu os documentos que estavam anexados pelo vistoriador. Olhou, conferiu e me entregou um boleto para pagamento. Falei que já havia pago na semana anterior no banco o IPVA,seguro obrigatório,licenciamento e multas do chupa-cabra . Foi ai que ela falou com semblante fechado  que "este boleto é da Vistoria". Me dirigi a outra fila imensa, onde haviam três caixas. Estavam funcionando apenas dois. Um estava vazio e noutro um funcionário corpulento contava uma montanha de moedinhas completamente alheio à grande  fila que só aumentava de tamanho  Consegui pagar a tal Vistoria e retornei ao guichê da funcionária de semblante fechado. Ela ordenou que esperasse que iam chamar o meu nome. Depois de uns vinte minutos um rapaz em outro guichê bradou o meu nome. Peguei o documento e saí daquele inferno completamente exausto e revoltado com a má gestão do Detran-Ba

NR . As fotos foram feitas por mim de um celular comum e por isto não tem a nitidez desejada.

Postar um comentário