Objetivo


segunda-feira, 29 de agosto de 2016

DILMA REPETE MENTIRAS E MOSTRA ARROGÂNCIA


Veja a satisfação do Lewandowski ao receber
 a Dilma no Senado
Chegou com um modelito tipo sofá de casa da vovó , com grandes flores e um topete alto. Teria vindo numa van, entrando pelos fundos do prédio do Senado juntamente com o Lula e o séquito de seguidores , inclusive o Chico Buarque.A expressão era de arrogância, como sempre se comportou durante os anos que ocupou o Palácio do Planalto. Sentou-se e com o ar que dominava o ambiente deu uma olhada geral no Plenário. O Lewandowski sempre preocupado em agradar a Dilma Rousseff fazia as honras da casa.
O roteiro  da sessão traçado pelo presidente do STF beneficiou a ré, porque deu aos senadores apenas 5 minutos para fazer as perguntas , enquanto ela pode responder usando o tempo que quisesse. Iria abrir o discurso com 30 minutos , na realidade durou quase uma hora sem ser interrompida por ele. Não permitiu tréplica dos senadores . Assim, ela repetia à exaustão àqueles discursos confusos que sempre produziu durante seus dois mandatos.
Tentou intimidar os senadores pronunciando frases como que  entre seus defeitos "não está a covardia", e falou dos programas que implantou . Não disse que deixou esses programas em situação de caos, sem qualquer recurso para serem cumpridos. Insistiu durante todo o dia em lembrar os votos que recebeu, esquecendo que voto não dá direito a cometer desvios ilícitos fiscais . Foi mais além, quando numa verdadeira encenação tentou mostrar voz embargada, como que ia chorar, por duas vezes.
Continuou mentindo, mentindo como estivesse num comício e insistindo na falsa narrativa do golpe, inclusive num desrespeito total ao Lewandowski, presidente do STF, que estabeleceu o rito da sessão.
Expressão da arrogância esconde a incompetência.
Falou ainda dos negros e mulheres, como se os senadores e deputados que o julgaram e vão julgar  não tivessem preocupação com todos os brasileiros sejam eles de qualquer  cor, credo ou gênero .
Quando o senador José Aníbal , de Minas Gerais fez sua pergunta lembrando a fraude do setor elétrico, hoje, quase falido, quando ela baixou o preço por decreto, e em seguida vieram os tarifaços, respondeu grosseiramente ao senador. Ou seja, onde ela meteu o dedo deu problema.
Não falou de Pasadena; da quebra da Petrobras; da refinaria que o Lula deixou o Evo Morales, da Bolívia, levar na marra; do roubo na  Eletrobrás,  na Eletronuclear e  nos fundos de pensão . Portanto, foi uma defesa pífia e que não muda nada!
Já os senadores petistas e outros apoiadores, inclusive o contraditório Paulo Paim,do PT gaúcho,  fizeram também àqueles discursos esperados chamando ridiculamente Dilma de "presidenta" , numa clara demonstração de subserviência e batendo palmas , sendo admoestados por Lewandowski
Vamos agora esperar os votos dos senadores defenestrando de vez esta senhora, que tanto mal fez ao país e aos brasileiros.

Postar um comentário