Objetivo


quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

ESTRANHO JULGAMENTO DO STF SALVA RENAN

Supremo decide manter Renan Calheiros na Presidência do Senado
Foi uma crise de republiqueta.O ministro Marco Aurélio, da Alta Corte monocraticamente concedeu estranha liminar a uma representação de autoria de um partido nanico de extrema-esquerda, a Rede,  para tirar o Presidente do Senado Federal.
 Sabendo da fragilidade desta liminar Renan Calheiros foi orientado por seus advogados a não receber a notificação, e entrou com recurso no STF para cassar a liminar. 
O plenário da Corte se reuniu às pressas,pautou a apreciação da liminar, e por 6 X 3 os ministros decidiram pela sua permanência no cargo . Só que não poderá substituir o Presidente da República, já que ele seria o segundo na linha sucessória.Uma decisão salomônica para evitar que a crise piore.
O Ministro Marco Aurélio tem dado votos estranhos

A crise política brasileira é tão grave quanto a econômica. Estamos diante de um país que foi saqueado por centenas de ladrões que ocupavam cargos públicos e nas estatais, mancomunados com políticos , empreiteiros  e outros operadores. É a maior roubalheira do Planeta. 
Centenas estão citados em colaborações na Justiça, alguns já condenados e presos , outros  são réus, investigados e acusados de corrupção  entre esses  ex-presidentes, ex-governadores,ex-senadores, deputados federais,diretores de estatais, presidentes de grandes empreiteiras, doleiros, assessores, ex-ministros, etc.. Enfim, uma fauna variada de autoridades que pilharam a Petrobras, Eletrobras, Fundos de pensão e as  finanças do país.
É verdade que ainda existem muitas coisas a serem devidamente apuradas, investigadas e julgadas. É um trabalho árduo que deve contar com o apoio irrestrito da sociedade brasileira.
Encontra -se preso Eduardo Cunha , ex-presidente da Câmara Federal , acusado de vários crimes, e o atual presidente do Senado, Renan Calheiros já é réu num processo acusado de peculato, e existem mais 10 outros processos em andamento contra ele. Hoje, ele saiu ileso numa decisão esdrúxula do Supremo,mas que talvez tenha evitado o pior. Só a História para julgar com isenção do tempo esta decisão.
Aliás, da mesma forma àquela decisão  que o mesmo Senado foi palco quando o então presidente do STF, Ricardo Lewandowski concordou em fatiar um artigo constitucional,protegendo a Dilma Rousseff, quando ele teria que proteger a Constituição por ser um dos guardiões da Carta Magna. São julgamentos e decisões esdrúxulas, como se estivéssemos vivendo num regime ditatorial ou mesmo de excepcionalidade.
Postar um comentário