Objetivo


quarta-feira, 24 de maio de 2017

IMPOSTO SINDICAL PATROCINA VANDALISMO EM BRASÍLIA


 Assistimos na tarde de hoje em Brasília vandalismo patrocinado pelo Imposto Sindical Compulsório através as centrais sindicais a CUT e a Força Sindical ,MST e MTSTque transportaram para a Capital federal centenas de  milicianos que depredaram vários ministérios e enfrentaram os policiais. Os Ministérios da Agricultura e o da Cultura foram os mais atingidos com milicianos quebrando suas vidraças, danificando documentos, cadeiras e móveis,e não satisfeitos colocaram fogo nos prédios. Isto mesmo, incendiaram os prédios públicos causando grandes danos ao patrimônio . Os funcionários aterrorizados foram retirados às pressas de seus afazeres ,enquanto os milicianos pareciam preparados e treinados .Eles avançaram sobre os prédios  causando pânico e danos consideráveis.
O efetivo das forças policiais lutava bravamente contra os milicianos trajando suas camisetas vermelhas e portando as surradas bandeiras da CUT, da Força Sindical,MST e MTST e de outros partidos de esquerda radical incentivados por um locutor num carro de som. Vários policiais foram agredidos pelos vândalos , sendo que seis precisaram de atendimento médico ,e apenas quatro vândalos tinham sido detidos.
Houve uma falha na repressão ao vandalismo, porque o número de policiais e as táticas empregadas não foram suficientes para conter os 25 mil baderneiros , entre eles centenas de milicianos, profissionais de manifestações violentas. Isto pode ser depreendido pelos estragos que causaram ao patrimônio público. 
Eles foram para Brasília em centenas de ônibus alugados pela CUT. Força Sindical ,MST e MTST e outras centrais sindicais com o dinheiro que abastecem estas corporações do Imposto Sindical Compulsório. Ou seja, esta excrescência do tempo da ditadura de Vargas está servindo para patrocinar viagens de milicianos para depredar o patrimônio público. 
Foi necessário que o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia pedisse que a Força Nacional fosse chamada para garantir os trabalhos do Parlamento, mas o presidente Temer decidiu chamar as Forças Armadas, e imediatamente as tropas chegaram para garantir a segurança, enquanto os baderneiros se dirigiram para as imediações do estádio Mané Carrinha onde os ônibus que os trouxeram permaneciam estacionados.

 Fotos do Blog Ceticismo Político.
Postar um comentário