Objetivo


quinta-feira, 7 de março de 2013

A PALAVRA É DECEPÇÃO

"Não estou vendo nada. 
 Me deixe em paz,rapaz.
Vá chafurdar no lixo, como você faz sempre.
Palhaço!"

Estas palavras grosseiras , foram pronunciadas num tom de raiva pelo  atual Presidente do Supremo Tribunal Federal, STF , Ministro Joaquim Barbosa indignado com uma simples pergunta de um repórter do jornal paulista o Estado de São Paulo, em Brasília, no último dia 6, terça-feira..
Decepção foi a palavra que mais se ouviu desde ontem, nas conversas entre  milhares de pessoas por este Brasil afora.
Espera-se de um Ministro do STF uma conduta, no mínimo serena diante de uma pergunta  de um jornalista, por mais provocadora que seja. E, diga-se a bem da verdade, a pergunta referia-se a uma reação de três entidades de magistrados que criticaram a decisão do Conselho Nacional de Magistratura, do qual o Ministro é presidente . Não tinha nada que justificasse esta reação impensada e raivosa.
 Em sua decisão o CNJ quer evitar que empresas patrocinem festas e outros eventos para magistrados. Uma medida, que merece apoio, e o jornalista queria apenas tomar uma declaração do Ministro Joaquim Barbosa  a respeito desta posição corporativa dos magistrados.
Logo depois, refeito de sua reação condenável o Ministro distribuiu uma nota pedindo desculpas e alegando que estava sentindo dores e cansaço. Realmente se as pessoas que estão sentido dores e cansaço responderem assim a seus interlocutores nós jornalistas estamos fritos.
O destempero não combina com a função de magistrado. Lembro da serenidade do ex-Presidente do STF,  Ayres de Brito, diante de situações difíceis e embaraçosas. É bom que os atuais ministros do Supremo se espelhem no comportamento ilibado  e sereno deste sergipano que deixou saudades.
Postar um comentário