Objetivo


quinta-feira, 21 de março de 2013

SECARAM NOSSO PETRÓLEO

Por várias décadas a Bahia forneceu  a todo País grande  quantidade de petróleo, desde a sua descoberta em Lobato em 28 de julho de 1938, quando  foi perfurado o poço DNPM-163,nos arredores de Salvador . Bestamente orgulhosos desde  este feito os baianos  não imaginavam que no futuro dois estados, que não tinham uma gota de petróleo , iriam brigar para  manter um privilégio sem sentido. Estamos numa Federação e a riqueza do petróleo deve ser dividida por todos os estados. Esta é uma decisão mais do que justa, mesmo porque , grande parte do petróleo que o Rio de Janeiro e o Espírito Santos reclamam não sai de seus solos e, sim, da plataforma marítima, que dista muitos e muitos quilômetros de suas praias, quase em águas internacionais.
 É bom sempre lembrar que de tanta exploração os campos baianos secaram ou estão produzindo muito pouco .Grande parte do  petróleo que tiraram foi levada para todos os estados da Federação, principalmente para os  mais ricos como Rio de Janeiro e São Paulo, que consomem grandes quantidades deste produto.
Tudo não passa de  uma questão política, liderada por Lula , para beneficiar seu "correligionário" Sérgio Cabral - o homem das dezenas de viagens ao exterior, até agora sem explicação convincente - e seguida por Dilma ,obediente parceira, a qual vetou a distribuição para todos os estados.
Felizmente, o desprestigiado Congresso Nacional derrubou os vetos com 54 senadores e 349 deputados mudando a divisão dos royalties. Os perdedores, como é natural, estão esperneando e alardeando maldades e desastres. Nada disto deve acontecer.Tudo se arruma e o Rio de Janeiro que foi um dos responsáveis pelo secamento dos poços de petróleo baianos tem é que se conformar com esta medida acertada e justa.
Na realidade nenhum estado vai ganhar. Quem ganha é a Federação como um todo ,que distribuirá igualitariamente os royalties com todos os seus membros , evitando aumentar a desigualdade que existe , prejudicial aos brasileiros. É preciso acabar com privilégios dos mais fortes, capitaneados por quem está no poder central e quer distribuir benesses entre seus seguidores. O Rio de Janeiro foi um dos estados mais beneficiados com esta administração petista. Só para citar o descompasso a Bahia não tem até hoje em todo seu território um quilômetro de metrô funcionando. Tem apenas seis quilômetros em construção. Já fazem 10 anos e seus trens nunca rodaram um centímetro.Do jeito que vai, quando começar a funcionar, o sistema já estará defasado por uma década.
Postar um comentário