Objetivo


sexta-feira, 29 de novembro de 2013

AS VÍTIMAS SOMOS NÓS

Não bastaram duas juntas de médicos especialistas atestarem que Genoíno pode sim, cumprir a pena na Papuda para mudarem o foco. Arranjaram um emprego de fachada para o Dirceu, que vai ganhar o maior salário da hotelaria nacional. Aprovaram de afogadilho o voto aberto para cassação de deputados, com o propósito fajuto de beneficiar o ex-presidente do PT, que participou do esquema de distribuição para que o dinheiro do mensalão chegasse às mãos dos mensaleiros.
Na realidade eles não são vítimas. São presidiários  condenados pelo Supremo Tribunal Federal, após amplo direito de  defesa feita por advogados caríssimos e recursos de toda ordem. As vítimas somos nós que compomos a sociedade brasileira.
 Eles dizem que são vítimas das elites. E, eles por acaso, não são da elite? Dirceu mandava no Governo mais do que o Lula, Genoíno era o presidente do partido governista e parlamentar federal. Se isto não é ser da elite , o que é elite afinal?
A cena de Genoíno com uma capa feita de um lençol estampado preso ao pescoço, braço estendido e o punho cerrado beirou ao rídiculo. Foi seguido pelo Dirceu que repetiu o seu gesto, numa prova clara de que haviam combinado a cena  para ser registrada pela imprensa que estava de plantão aguardando os condenados. Genoíno ainda demonstrava um semblante raivoso, como se estivesse ali injustamente. Aliás, qualquer preso que você entreviste irá dizer e reafirmar que está ali injustamente porque é inocente. A mesma resposta você ouvirá dos parentes e seguidores de presos condenados por este país afora.
As romarias de políticos  para a Papuda e os privilégios que gozam esses condenados já provocam insatisfação dos demais presos, que estão exigindo tratamento igualitário. Isto pode terminar em problemas futuros.
Postar um comentário