Objetivo


terça-feira, 27 de maio de 2014

RODOVIÁRIOS BRIGAM E A POPULAÇÃO É QUEM SOFRE

Foto Google

Muitos passageiros ontem, à tardinha, foram obrigados pelos motoristas a descer dos ônibus 


Estamos assistindo um fenômeno novo. São as greves não anunciadas por trabalhadores de categorias diferentes, que não aceitam  acordos feitos por seus sindicatos e homologados pela Justiça trabalhista. Isto já aconteceu em várias capitais e cidades importantes do nosso país, e agora estamos vivenciando desde ontem, à tardinha, com a greve de motoristas e cobradores  em Salvador.
As versões são as mais diversas,tentando justificar a eclosão da greve . Ouvi alguns rodoviários dizendo que esta greve é fruto da falta de diálogo do seu sindicato com os trabalhadores. Então, quem este sindicato representa? Depois de várias versões contraditarias, outro rodoviário tentou explicar informando que o acordo que foi homologado teria sido aprovado por um grupo de trabalhadores que foi levado ao sindicato em alguns ônibus pelo deputado estadual José Carlos. No seu depoimento a uma estação de rádio,ele informou que só deixaram participar da assembléia pessoas ligadas a este deputado e, também, que apoiavam a atual diretoria do  sindicato. Os opositores ficaram de fora e não puderam opinar ou votar.
Ora, o que podemos perceber é que estes sindicatos, espalhados pelo Brasil afora, não representam verdadeiramente suas categorias. Alguns podem contra-argumentar que é uma minoria. Mas, como é que uma minoria consegue impedir que 2.800 ônibus não circulem em Salvador? Portanto,conclui-se que  esta minoria não é tão minoria assim.
As autoridades municipais ficam atônitas sem saber com quem dialogar. Como os dirigentes sindicais são os representantes legais, é claro que elas procuram dialogar com esses. Mas, é um diálogo sem solução, porque  alas oposicionistas não acatam qualquer acordo e partem para a ignorância furando pneus dos ônibus, quebrando vidros, jogando as chaves fora, etc. As lideranças que eclodiram a greve são várias. É uma greve quase espontânea.
Tive a oportunidade de ouvir alguns rodoviários que estavam parando ontem, sem nem saber a razão . Também, estavam mal informados.
No meio desta falta de informação,diálogo e de responsabilidade quem sofre é a população que fica a mercê da briga de lideranças de trabalhadores. Eles não se entendem e praticamente param a cidade causando prejuízos incalculáveis,além de penalizar quem diariamente paga o transporte para ir ao trabalho ou resolver um problema pessoal qualquer.
É preciso que esses brigões não pensem somente em tirar  suas vantagens salariais a qualquer troco, sem se preocupar com os demais trabalhadores. A população fica contra eles como temos observado nas constantes confusões entre passageiros e motoristas nos ônibus das grandes cidades.
Vimos pela televisão senhoras chorando sem saber o que fazer para ir para casa depois de um dia de labuta. Isto é realmente uma falta de respeito, de sensibilidade e, esses rodoviários precisam ser punidos por causar tantos danos a essas pessoas e a cidade. 
As disputas de lideranças têm que ser resolvidas nos seus sindicatos e, não parando o transporte coletivo.

Postar um comentário