Objetivo


terça-feira, 23 de dezembro de 2014

ATÉ A PAQUERA QUEREM TRANSFORMAR EM ASSÉDIO SEXUAL

                                                                                   
                                                                                                             Foto Google
Este foi o vídeo postado da atriz em Nova Iorque
que gerou a onda de assédio sexual em várias partes.


Uma bonita atriz  apareceu na televisão andando pelas ruas de Nova Iorque e durante seu trajeto recebeu algumas cantadas, piadas  e elogios . Bastou para surgir uma onda em várias partes do mundo com opiniões condenando o que rotulam de assédio sexual.
Fiquei imaginando como um homem e uma mulher vão se aproximar, vão se conhecer e manter um relacionamento, se não houver um começo de paquera, um elogio, uma piada engraçada e espirituosa. Não estou aqui defendendo as grosserias, as quais são desrespeitosas e, têm que ser extirpadas. Mas, a paquera, a brincadeira sadia, um fiu fiu, tudo isto faz parte  do jogo do amor, da aproximação e as mulheres  e homens gostam. Ninguém gosta de ser invisível. A mulher e o homem  gostam de ser vistos, elogiados e, assim, se sentem poderosos, atraentes e aumenta a sua auto estima.
Esta onda de classificar tudo de assédio sexual, inclusive o cortejamento respeitoso, acho que é perigoso, e deve ter algo por trás, querendo distanciar o homem da mulher. São os demolidores dos costumes.
Certamente agora  só poderá  existir paquera através das  redes sociais. Mesmo nas redes as pessoas terão que tecer elogios aos dotes dos pretendentes quer sejam  dotes intelectuais, gostos e predicados físicos, etc . Não há jeito de fugir . Daqui a pouco também isto será rotulado de assédio sexual. Temos que defender a aproximação das pessoas e não a separação.
Não sou especialista em comportamento. Porém, como sou sociólogo de formação, além de jornalista,  confesso que fiquei pensativo e incomodado com esta abordagem.
Ontem, ouvindo um programa na rádio CBN uma jornalista revelou que  fez uma experiência semelhante em São Paulo. Sua reportagem condena as cantadas e classifica de assédio sexual. Felizmente,  surgiu no programa, uma especialista que discordou totalmente. Respirei  aliviado, ainda bem que tem gente que não pensa tão radicalmente.

Sou um amante e observador dos pássaros. Vejo que os pássaros fazem o cortejamento, além de todos os seres vivos que habitam este planeta. Isto faz parte da perpetuação das espécies.  É natural. Será que o natural, hoje, não é mais politicamente correto ? Se não for, dane-se o politicamente correto e, convoco os rapazes e moças a paquerar, a dizer seus elogios, ressaltar os dotes físicos e intelectuais  dos seus escolhidos ou desejados, quer seja nas redes sociais, nas ruas, nas praças e nos locais onde encontrar alguém que lhe despertou a atenção. Isto é saudável e faz parte da vida !
Postar um comentário