Objetivo


terça-feira, 21 de junho de 2016

FALTOU PERGUNTAR SOBRE A LAVA-JATO

Ao defender o "legado " petista Jorge Viana mostrou que é 
mesmo membro da velha política que o brasileiro quer se livrar.
Assisti com atenção a entrevista do senador petista pelo Acre, e atual vice-Presidente do Senado, Jorge Viana, feita pelo jornalista Roberto D'ávila. Confesso que sou um admirador da forma como Roberto conduz as entrevistas deixando o entrevistado expor suas ideias, e de quando em vez, pergunta ou faz alguma interferência. Ele não é desses colegas jornalistas que querem aparecer mais que o entrevistado. Porém, fiquei decepcionado por  não perguntar ao  seu entrevistado sobre a Lava-Jato e de sua conversa ao telefone com um interlocutor - diálogo que está no Youtube e merece ser ouvido - onde chama o juiz Sérgio Moro de "bandido" e aconselha que seu interlocutor fale com o Lula para  bater de frente com o magistrado. Isto não seria uma clara manifestação de tentativa de obstrução da Justiça?
A entrevista  , como se diz nas conversas informais, encheu a bola de Viana, que se apresentou como aquele que acabou com o crime organizado em seu Estado . O senador petista ainda falou do "legado" de seu partido, sempre  evitando abordar o Mensalão e o Petrolão, estes esquemas organizados e sistêmicos de propina que destroçaram as finanças do Brasil e quase quebrou a Petrobras, Eletrobras, Correios e fundos de pensão.
Jorge Viana  procura se apresentar como membro da nova política. No entanto, sua atuação no Senado e suas vinculações políticas com a estrutura do PT, e  seu comandante o Lula , mostram exatamente o contrário. Ele e seu comandante são membros da velha política  que levou o nosso país a esta calamidade em que se encontra.
Conversa  é uma coisa. Atitude é outra coisa. Se Jorge Viana fosse membro da nova política ele estaria condenando publicamente as atitudes da cúpula de seu próprio partido e até procuraria fazer uma autocrítica ou migraria para outra agremiação que não estivesse envolvida nas falcatruas desses esquemas de propinas.
Consta na Wikipédia um texto sobre o senador do qual transcrevo na íntegra esta parte . Vejam :
"Em 2010 elegeu-se senador. Entretanto, sua campanha eleitoral foi investigada por suposta compra de votos. Uma juíza eleitoral, que havia lhe beneficiado com liminar suspendendo a apreensão de computadores usados em sua campanha, renunciou ao cargo".
Senador, falar em eleições neste momento do jogo  é  golpe claro. Estas falsas narrativas inventadas pra enganar incautos não funcionam mais. O Temer foi eleito vice-presidente e assumiu a presidência depois do afastamento compulsório da Dilma por cometer fraudes fiscais, segundo o TCU e confirmado pela maioria da Câmara Federal. Agora, o impeachment está em fase final, e dentro de pouco tempo Temer estará definitivamente na presidência continuando com sua equipe a consertar os desmandos de 14 anos de poder dos petistas. É muita coisa pra se consertar em tão pouco tempo  e a sociedade brasileira tem que apoiar e ter um pouco de paciência.

https://youtu.be/bQkHiZPCxaYhttps://youtu.be/bQkHiZPCxaY
Postar um comentário