Objetivo


sexta-feira, 3 de junho de 2016

PREFEITO ERRA AO PROIBIR O UBER

S
Uma vergonha apreender a ferramenta de trabalho
de alguém que precisa trabalhar com dignidade.
O prefeito ACM Neto cometeu um grave erro ao sancionar a lei que proíbe o Uber de funcionar em
Salvador. Nenhum gestor deve se submeter a caprichos e ameaças de grupos corporativistas. O serviço de táxi de nossa Cidade é um dos piores do Brasil. Muitos motoristas são despreparados, grosseiros e ludibriam os passageiros quando o cidadão não conhece o roteiro, e alguns dirigem como loucos no trânsito. Ficam nos pontos  recusando passageiros, quando o trajeto é curto. Em período de festas, como no carnaval, escolhem o passageiro e exigem preço acertado para levar  ao seu destino. Também, muitos carros são velhos e até mal cheirosos .
Esta lei vem de encontro a livre concorrência que deve existir em qualquer que seja a atividade econômica, e ninguém pode proibir que alguém trabalhe. O que deveria ter sido feito era a legalização e normatização deste novo serviço que está presente nas principais cidades do mundo.
Tudo que é novo provoca reações dos que estão descansados ocupando os lugares. Já pensou se os datilógrafos não permitissem os computadores? Os ascensoristas de elevadores não admitissem os modernos elevadores que não exigem o seu serviço? E muitas outras profissões. Ninguém pode proibir a modernidade e as novas tecnologias.Isto é atraso, burrice.
Ainda não usei o serviço do Uber, mas familiares e amigos já utilizaram, e acharam mais barato e de muito melhor qualidade. Por quê então proibir este serviço? Só por questões eleitorais? Os taxistas precisam de concorrência e de reciclagem porque eles prestam um péssimo serviço à população, e especialmente, aos turistas que nos visitam.
Não conheço ninguém ligado ao Uber mas, defendo a livre concorrência na mobilidade em nossa Cidade. A propósito, o representante da empresa  afirmou que mantém um serviço legal, de acordo com a Política Nacional de Mobilidade Urbana - Lei federal 12687/2012 , e que continuará operando.
O prefeito estabeleceu multas caras de R$2,5 mil no primeiro flagrante de infração, e de R$ 5 mil em caso de reincidência .Os condutores também podem ter os veículos apreendidos e mantidos em estacionamento público.
Uma decisão desastrosa do prefeito ACM Neto  contra a nossa Cidade !


Postar um comentário