Objetivo


quarta-feira, 12 de abril de 2017

O BRASIL NOVO NÃO PODE CONVIVER COM POLÍTICO CORRUPTO

Alguns integrantes da lista da Janot que agora passam a ser
investigados sob suspeita de corrupção.
Estamos estarrecidos e indignados com a quadrilha que se estabeleceu nos governos petistas de Lula e Dilma criando o mensalão e o petrolão ,e no Congresso Nacional. Corruptos que veem atuando há décadas na política, e se mantendo e enriquecendo às custas de propinas para aprovar Medidas Provisórias, emendas e leis para beneficiar empresários corruptores. Roubaram por anos a fio, e agora querem se escudar numa desculpa esfarrapada que é Caixa 2. Seja lá que nome eles queiram dar, a verdade nua e crua é que receberam e exigiram  propinas. Isto não é apenas crime eleitoral . Eles devem ser enquadrados  no Código Penal, porque o corrupto ladrão está tirando o dinheiro que ia pros hospitais, pros programas sociais, pras estradas, pra socorrer os que sofrem na seca e nas enchentes. São ladrões.
Saiu parte da lista do Janot onde 180 políticos  passam a ser investigados sob suspeita de participarem deste esquema criminoso que tantos males faz ao Brasil e aos brasileiros. Por enquanto, são suspeitos ,e quando são suspeitos é porque existem muitos indícios de que realmente praticaram ilícitos.
Basta perguntar a qualquer cidadão brasileiro nas ruas se o nome dele está na lista do Janot. Claro que não está, porque os suspeitos que praticaram ilícitos é que estão por lá.
Os partidos políticos no Brasil se transformaram em balcões de negócios. Não simples negócios honestos . Negócios semelhantes ao tráfico de drogas. Nesta lista tem políticos de 14 partidos políticos.
Todos se dizem inocentes. Coitados, não sabiam. Aprenderam com o pernambucano populista que não sabe de nada, o sítio e o triplex não lhes pertence. Nada, um pobre operário descamisado...
Gente "aguerrida" contra o que erradamente chamam de golpe, como os senadores Vanessa  Graziotin, o Lindbergh Farias e Humberto Costa, com sua vozinha de falsete também estão na lista do Janot.O Daniel Almeida,  Nelson Pellegrini , Kátia Abreu, Aécio Neves, e muitos outros .
Eles precisam ser afastados da vida pública para que o Brasil respire novos ares. Se vou alguém de fora da política, melhor, porque estes não podemos aceitar.
Se não mudar ,vamos invadir Brasília e ocupar o Congresso fechar as portas e jogar as chaves no lixão. Antes, que seja necessária uma intervenção qualquer.

Serão investigados 8 ministros, 3 governadores, 24 senadores e 39 deputados. Os pedidos se baseiam na chamada lista de Janot, feita com base em delações de ex-executivos da Odebrecht.

Veja os nomes:

Ministros

Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil;Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência da República;Gilberto Kassab (PSD), da Ciência e Tecnologia;Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional;Aloysio Nunes (PSDB), das Relações Exteriores;Blairo Maggi (PP), da Agricultura;Bruno Araújo (PSDB), das Cidades;Roberto Freire (PPS), da Cultura - Fachin mandou pedido de volta à PGR em função da possível prescrição do suposto crime e Marcos Pereira (PRB), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços

Senadores

Romero Jucá Filho (PMDB-RR);Aécio Neves da Cunha (PSDB-MG);Renan Calheiros (PMDB-AL);Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE);Paulo Rocha (PT-PA);Humberto Sérgio Costa Lima (PT-PE);Edison Lobão (PMDB-PA);Cássio Cunha Lima (PSDB-PB);Jorge Viana (PT-AC);Lidice da Mata (PSB-BA);José Agripino Maia (DEM-RN) - Fachin mandou pedido de volta à PGR em função da possível prescrição do suposto crime;Marta Suplicy (PMDB-SP) - Fachin mandou pedido de volta à PGR em função da possível prescrição do suposto crime;Ciro Nogueira (PP-PI);Dalírio José Beber (PSDB-SC);Ivo Cassol (PP-RO);Lindbergh Farias (PT-RJ);Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM);Kátia Regina de Abreu (PMDB-TO);Fernando Afonso Collor de Mello (PTC-AL);José Serra (PSDB-SP);Eduardo Braga (PMDB-AM);Omar Aziz (PSD-AM);Valdir Raupp (PMDB-RO);Eunício Oliveira (PMDB-CE);Eduardo Amorim (PSDB-SE) - Fachin mandou pedido de volta à PGR em função da possível prescrição do suposto crime;Carmo Alves (DEM-SE) - Fachin mandou pedido de volta à PGR em função da possível prescrição do suposto crime;Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) - Fachin mandou pedido de volta à PGR em função da possível prescrição do suposto crime;Ricardo Ferraço (PSDB-ES);Antônio Anastasia (PSDB-MG)

Deputados federais

A lista inclui o presidente Rodrigo Maia.
Do PT (11):
- Marco Maia, do Rio Grande do Sul;Carlos Zarattini, de São Paulo;
- Nelson Pellegrino, da Bahia;Maria do Rosário, do Rio Grande do Sul;
- Vicente “Vicentinho” Paulo da Silva, de São Paulo;Zeca Dirceu, de São Paulo;Vander Loubet, do Mato Grosso do Sul;Zeca do PT, do Mato Grosso do Sul;Vicente Cândido, de São Paulo; Décio Lima, de Santa Catarina;Arlindo Chinaglia, de São Paulo.
Do DEM (5):
- Rodrigo Maia, do Rio de Janeiro;José Carlos Aleluia, da Bahia;
- Felipe Maia, do Rio Grande do Norte; Onyx Lorenzoni, do Rio Grande do Sul;Rodrigo Garcia, de São Paulo.
Do PP (5):
- Mário Negromonte Jr., da Bahia;Paulo Henrique Lustosa, do Ceará;
- Cacá Leão, da Bahia;Dimas Fabiano Toledo, de Minas Gerais;Júlio Lopes, do Rio de Janeiro.
Do PSDB (4):
- Jutahy Júnior, da Bahia;Yeda Crusius, do Rio Grande do Sul;João Paulo Papa, de São Paulo;Betinho Gomes, de Pernambuco.
Do PMDB (4):
- Jarbas de Andrade Vasconcelos, de Pernambuco;Pedro Paulo, do Rio de Janeiro;Lúcio Vieira Lima, da Bahia;Daniel Vilela, de Goiás.
Do PR (3):
- João Carlos Bacelar, da Bahia; Milton Monti, de São Paulo;Alfredo Nascimento, do Amazonas.
Do PRB (2):
- Beto Mansur, de São Paulo;Celso Russomano, de São Paulo.
Do PSB (2):
- José Reinaldo, do Maranhão, por fatos de quando era governador do Maranhão;Heráclito Fortes, do Piauí.
Do PSD (2):
- Fábio Faria, do Rio Grande do Norte;Antônio Brito, da Bahia.
Do Solidariedade (1):
- Paulinho da Força, de São Paulo.
Do PCdoB (1):
- Daniel Almeida, da Bahia.
Do PPS (1):
- Arthur Oliveira Maia, da Bahia.
Do PTB (1):
- Paes Landim, do Piauí.

Postar um comentário