Objetivo


sexta-feira, 7 de novembro de 2014

EMPRESA DE ELETRODOMÉSTICOS VENDEU DOIS FERRIES PARA GOVERNO BAIANO !

Foto Google
Os  ferries já recuperados depois da travessia do Atlântico
É no mínimo estranho que num salão de beleza em Portugal venda ferries. Pois é, em Amadora, Portugal, o governador Jacques Wagner , do PT, conseguiu a proeza de comprar  da empresa Happyfrontier Importação e Exportação Ltda dois ferries gregos, os quais já chegaram aqui enferrujados e precisando de reparos. Esta empresa "funciona" num endereço que é um salão de beleza.

Numa repoortagem de autoria de Paula Cosme Pinto e Clarissa Pacheco, do jornal Correio da Bahia, as duas repórteres informam que no edifício número 10 da rua Dom Afonso de Noronha, funciona um salão de beleza de propriedade de Maria de Lurdes Pereira Lobo Nóbrega,conhecida por d. Milu.Neste mesmo endereço "funciona" a Happyfrontier que até o mês de abril vendia eletrodomésticos e mobiliário .Foi lá que o Governo da Bahia comprou os tais ferries. Uma compra que custou 18 milhões de euros ou seja mais de R$ 56 milhões.As tais embarcações enferrujadas receberam os nomes de Dorival Caymmi e Zumbi dos Palmares, chegaram em agosto e começaram a operar em outubro passado.
Na frente do prédio tem uma placa de metal onde está escrito "Cabeleleiro de Senhoras" e um dos sócios da fornecedora dos ferries é o genro de d. Milu chamado João Carlos Palmeirão de Melo. A repórter Paula Cosme Pinto esteve por quatro vezes à procura dos donos da Happyfrontier e não encontrou ninguém no prédio.
O importante é que quando o governo do Estado comprou os ferries a empresa estava registrada como "comércio por grosso de eletrodomésticos e afins,mobiliário e outros bens e equipamentos para o lar". Como sabemos ferries não são eletrodomésticos e muito menos objetos para o lar.
O curioso é que seis meses depois - continuam as repórteres - após a assinatura do contrato com o Governo baiano foi feita uma alteração contratual e a empresa Happyfrontier passou também a ser registrada como "Comércio por grosso de eletrodomésticos e afins, mobiliário e outros bens equipamentos para o lar, comércio geral por grosso para compra e venda de navios, administração de terminais marítimos, estaleiros navais, serviço de manutenção naval,comércio de equipamentos industriais, transportes marítimos, importação e exportação dos mesmos e serviços conexos". Portanto, uma super potência empresarial...
 Otto Alencar, senador eleito pelo PSD, responsável direto pela "compra", e aliado de Jacques Wagner, diz que tudo foi feito dentro da legalidade. A promotora Rita Tourinho que deu o parecer favorável disse que desconhecia que a empresa só era habilitada para vender eletrodomésticos e equipamentos do lar.
Já o Tribunal de Contas do Estado terá que investigar esta estranha compra .O Conselheiro Pedro Lino está desconfiando de crime de estelionato. Vamos aguardar as providências do TCE e do Ministério Público Estadual.
Postar um comentário