Objetivo


segunda-feira, 24 de outubro de 2016

A REPÚBLICA BRASILEIRA NÃO PODE CONVIVER COM FEUDOS

Renan reuniu os jornalistas para atacar o Ministro da Justiça,
 juiz e a Polícia Federal
Estamos vivendo num país curioso,  onde os poderes constituídos - Judiciário,Legislativo e Executivo - são tomados por seus dirigentes como se fossem feudos intocáveis . Era Ricardo Lewandowski, no STF; Eduardo Cunha, na Câmara Federal; e ainda Renan Calheiros, no Senado, sem falar na "presidenta",Dilma Roussef, que foi retirada do cargo por um impeachment. Três já saíram, falta o Renan Calheiros !
Cada um à sua maneira ditavam normas e  falação contra o Ministério Público, e Polícia Federal, além dos juízes, que no entendimento deles ousam levar adiante qualquer ação que os atinja. Se consideravam poderosos , intocáveis e chegavam e chegam a ponto de fazer ameaças, como fez o Eduardo Cunha, agora, encarcerado numa cela da Polícia Federal , em Curitiba.Na tarde de hoje foi a vez do Renan Calheiros reunir a imprensa para falar e responder o que lhe interessava, e aproveitou para atacar o juiz de primeira instância que determinou a ida da Polícia Federal para apreender os equipamentos de varredura usados pela Polícia Legislativa.Chamou o juiz de juizeco e o Ministro da Justiça de chefete de polícia, num completo desrespeito , assumindo uma postura incompatível com o cargo de presidente do Congresso Nacional.
Ele defendeu o trabalho da Polícia Legislativa do Senado e disse que tinha autorizado as varreduras. Revelou que foram realizadas um total de 17 varreduras em casas de senadores de 2013 a 2015. Portanto, como podemos ver  ele estabeleceu quase uma polícia paralela fora dos muros do Senado .
É bom lembrar que foi feita  a varredura  na casa de Gleisi Hoffmann, em Curitiba, e na de José Sarney, que não é mais senador, em São Luís, no Maranhão . e também na casa do filho do senador Edson Lobão, que é seu suplente no Senado.Estas varreduras foram feitas logo após a Polícia Federal ter realizado  operação de busca e apreensão nestes locais, e todos estão sendo investigados pela Lava-Jato.
 Indagado várias vezes sobre a varredura na casa do Sarney, ele desconversou e não respondeu aos jornalistas. Exatamente ai, onde  está a maior gravidade do ato praticado pelos policiais legislativos, já que o  Sarney não é mais senador .
A propósito a Revista Veja, ( Foto ao lado ) desta semana traz uma extensa reportagem onde Renan Calheiros é citado várias vezes por um colaborador da Justiça de ter recebido propina por determinação do ex-senador e ex-diretor da Petrobras, Sérgio Machado. Todos sabem, que o Renan responde há quase uma dezena de processos que estão sendo analisados pelo Supremo Tribunal Federal, e que a maioria encontra-se há alguns meses com o Ministro Teori Zavascki.



Postar um comentário