Objetivo


quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

PRESÍDIOS SEM CONTROLE COM MORTES DE 125 PRESOS

Grupos rivais em confronto no presídio de Alcaçuz em
Natal, Rio Grande do Norte,onde já morreram 26.
Estamos assistindo cenas de barbárie nos fétidos presídios brasileiros superlotados de bandidos de todos os naipes. Eles se digladiam mostrando força e matam seus colegas de infortúnio sem qualquer preocupação em ser penalizados por mais estes atos violentos. Já morreram, até hoje, dia 18 de janeiro, 125 presidiários em vários estados brasileiros.
Esta situação é mais uma herança do petismo que deixou nestes últimos 14 anos as prisões se degradarem mais ainda , sem qualquer preocupação em construir novos presídios e melhorar os já existentes.
O fundo penitenciário estava com o dinheiro lá intocável, e alguns governadores também não se interessaram pela construção de novos presídios, porque isto não dá voto.
Presidiários soltos no pátio de presídio em Natal
Este problemão estourou no colo de Temer, que não tem qualquer culpa por esta situação explosiva. Porém,  agora que é presidente tem que  tomar as medidas necessárias para controlar estas revoltas nos presídios . Também, é uma oportunidade de demonstrar que é possível criar melhores condições para estes bandidos que estão encarcerados.
Grupos de presidiários separados por barricadas
 prontos para o confronto.
O problema não se restringe aos presídios, porque as ruas de várias cidades brasileiras, a exemplo do Rio de Janeiro ,São Paulo, Salvador, Recife ,dentre outras,  estão a merecer uma ação enérgica, porque a violência está se tornando incontrolável. Hoje, é quase impossível ir a uma praia ou mesmo andar de ônibus nas ruas dessas cidades porque os arrastões acontecem a qualquer momento. Os banhistas e os passageiros de ônibus são saqueados a luz do dia por bandos de bandidos  que a grande mídia teima em chamar de jovens.
Este crescimento desenfreado da violência é fruto da impunidade .Determinados regulamentos protegem menores bandidos, e assim estão incentivando a criminalidade e a formação de assassinos perigosos.
Eles não são presos, são apreendidos, e as vítimas ficam a mercê de ideias românticas de "educadores" e de dirigentes de ongs, que só fazem lucrar com gordos salários ou com muita grana destinada pelo Erário público para mante-los.
Depois que as revoltas dos presidiários se espalharam pelos estados de Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Maranhão, Rio Grande do Sul e aconteceram fugas em outras regiões o governo federal reuniu seus ministros da área de segurança e decidiu que as Forças Armadas farão uma varredura com equipamentos modernos nos presídios, onde os governadores dos Estados solicitarem.
 Por outro lado, um Plano de Segurança Nacional está sendo ultimado para entrar em execução o mais rápido possível, inclusive com liberação de recursos para compra de bloqueadores de celulares, scaners e aparelhos de raio x para coibir a entrada de armas e celulares nos presídios, além da construção de cinco novos estabelecimentos penitenciários.
O Brasil precisa  acabar com a impunidade e diminuir a violência nas cidades e no campo.




Postar um comentário