Objetivo


sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

TEORI ZAVASCKI E SEU LEGADO NA LAVA-JATO

Teori tinha que homologar 77 delações dos
executivos da Odebrecht.
Nós brasileiros fomos mais uma vez surpreendidos na tarde de ontem com uma notícia bombástica quando os jornais de televisões , estações de rádio e as redes sociais anunciaram que o ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki era um dos passageiros de um pequeno avião que caiu no mar próximo ao aeroporto de Paraty, no Rio de Janeiro. Muitos correram para frente das televisões em suas casas e escritórios, e outros passaram a sintonizar os seus smartphones para acompanhar as tentativas de resgate dos corpos que ainda estavam presos nas ferragens.
Enquanto isto, já se especulava nos programas de jornalismo das televisões e dos rádios sobre quem seria o substituto com citações de artigos do Regimento do STF, e que o presidente Michel Temer terá que nomear um novo ministro para o seu lugar. Tudo bem, a vida prossegue. A notícia ganha mais força porque Teori Zavascki era o relator do processo da Lava-Jato e estava prestes a homologar as delações de 77 executivos da Odebrecht que envolvem dezenas de políticos citados por receberem propina da Petrobras.

EVITOU PRISÃO

Além do mais ele tinha em suas mãos muitos outros processos importantes, inclusive envolvendo o atual presidente do Senado, Renan Calheiros e outros figurões de República. Agora, surgem aos borbotões as qualidades de Teori Zavascki, mas um dos principais legados que ele deixou foi evitar a prisão de Lula.
Bombeiros retiram os corpos da fuselagem do avião
Também, em 2015 concedeu liminar barrando o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, na Câmara dos Deputados e determinou a prisão do senador Delcídio do Amaral, líder do governo petista. Afastou Eduardo Cunha da presidência da Câmara Federal e nada fez contra o senador Renan Calheiros, que segundo acusações do Ministério Público Federal já cometeu vários delitos e tinha quase uma dezena de processos nas mãos do Teori Zavascki.

Todos sabem que foi o Teori Zavascki que evitou a prisão de Lula naquele episódio que a Dilma Rousseff mandou um emissário chamado de "Bessias" levar um documento quando soube que ele estava prestes a ser preso. Isto foi em junho de 2016. Alegando que a gravação vazada, envolvia a Dilma, onde ela diz claramente que o documento era sua nomeação para o cargo de ministro e que só usasse em caso de necessidade. Como tinha foro privilegiado avocou para si o caso, evitando a prisão tão desejada por milhões de brasileiros do Lula,ficando o caso parado por um bom tempo.
 Com isto os investigadores, procuradores e policiais perderam o timing. Foi ele também que parou a Operação Métis, da Polícia Federal que apurava o uso indevido da Polícia do Senado de investigar  fora dos limites da instituição. Os policiais do Senado chegaram a viajar para Curitiba,vasculharam a casa de Gleisi Hoffmann , e também, em São Luis do Maranhão vasculharam as casas do senador Lobão, e do ex-senador José Sarney à procura de escutas telefônicas. Portanto, num claro abuso de função.
Para finalizar, classificou de "espetáculo midiático" aquela polêmica entrevista dos procuradores de Curitiba que chamaram Lula de Chefe da Quadrilha criminosa ,e negou o pedido de prisão dos senadores Renan Calheiros e Romero Jucá feito pela Procuradoria Geral da União.Estas são as principais ações do Teori Zavascki nestes dois anos e meio que estava como relator da Lava-Jato.
Postar um comentário