Objetivo


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

DEPUTADOS E SENADORES LEGISLAM PARA EVITAR CONDENAÇÃO

Mais um dia movimentado em Brasília, esta ilha da fantasia plantada no cerrado,  com os suspeitos e acusados  trabalhando até a madrugada para incluir no projeto de lei PL 4.850 ,conhecido como os das 10 medidas contra a corrupção, artigos e  incisos que anistiem o crime do caixa 2. Assim, estarão salvos de um possível processo os políticos que receberam propina , além de  terem cometido  outros delitos. Foi um acordão dos líderes de vários partidos , que  se esforçaram durante toda a noite, e vararam a madrugada para costurar as modificações contra a sociedade brasileira e o Brasil.
O Procurador Geral da República Rodrigo Janot alertou que "Na verdade, o discurso de anistia se refere aos outros crimes que estariam por trás do caixa 2: lavagem de dinheiro, corrupção ativa, corrupção passiva, peculato, evasão de dividas. E essa discussão viria nesse sentido. Porque se você cria um crime hoje de caixa 2 esse crime não pode retroagir, é só daqui para frente", disse Janot .
Ai está a reprodução de possível emenda que
circulou ontem na Comissão Especial da Câmara .

Enquanto isto, Renan Calheiros, o homem que já tem mais de 10 processos à espera que o Supremo Federal libere para que as investigações prossigam, leva a toque de caixa o seu projeto urdido nas entranhas negras do Senado para punir autoridades. É o PL 280, conhecido como projeto de abuso de autoridade.
Este projeto neste momento, tem este fim ,  que é negado por Renan, de criminalizar ou pelo menos amedrontar as ações dos investigadores, procuradores e juízes da Lava-Jato e de outras iniciativas de combate a corrupção.
Presidentes do Senado e da Câmara estão unidos
para salvar os suspeitos ? Será que é uma
 blindagem contra as colaborações à Justiça
do pessoal da Odebrecht?
É bom lembrar que o Renan na legislatura passada renunciou para não ser cassado. Ele foi acusado de utilizar  uma construtora para pagar despesas pessoais de sua amante e da filha que teve com ela. Candidatou-se novamente, e foi eleito pelos alagoanos.Em seguida, foi reconduzido à Presidência do Senado pelos atuais senadores.
Portanto, existe ai um conluio entre os muitos senadores que votaram nele, os quais agora o apoiam neste projeto, tentando também se livrarem de condenações futuras
 Foi aberto um processo contra ele neste caso da amante que está há 9 anos no STF. Agora, a ministra Carmem Lúcia marcou o julgamento para 1º de dezembro . O relator é o Ministro Fachin.
Renan é um mestre da velha política, astuto, capaz de forjar frases de efeito como esta :"O abuso de autoridade é uma chaga incompatível com o regime democrático", como se ele fosse um exemplo de parlamentar que respeita o Estado democrático. Está bem longe disto.
Quando o painel do Senado apresentava  nomes de vários senadores, embora na sala só estivesse uma minoria no último dia 22, Renan leu o requerimento da votação do tal PL 280 , e colocou em votação para que seja votado em regime de urgência aplicando aquela  velha fórmula:"Está em votação o PL 280.. Os que estão a favor permaneçam como estão". E, assim esta excrescência foi aprovada como de urgência. por unanimidade. Os "ausentes" não se comprometeram com suas imagens no salão do Senado.
É de se perguntar: Como a sociedade brasileira pode confiar e conviver com um Congresso que age desta forma?






Postar um comentário