Objetivo


quarta-feira, 18 de maio de 2016

MAIORIA DOS ARTISTAS NÃO PROTESTA CONTRA A CORRUPÇÃO

Os escolhidos da famigerada Lei Rouanet que beneficia
artistas ricos do business
 O Brasil está com um deficit superior a 190 bilhões. A Petrobras e a Eletrobras estão praticamente falidas. A Caixa Economia Federal e os fundos de pensão enfrentando muitas dificuldades. Mais de 11,2 milhões de desempregados, menos 23.565  leitos do SUS, sendo 2.160 na Bahia; mais de 110 mil pontos de vendas fechados. Tudo isto devido a roubalheira, a corrupção e má gestão que resultaram na desorganização das finanças do país. 
Estranho e revoltante é que pouquíssimos  artistas protestaram contra estes graves problemas criados pelo governo petista. Você até conta nos dedos os artistas que se manifestaram com coragem e lucidez a exemplo de Carlos Verezza, Fábio Junior, Antônio Fagundes, Regina Duarte, Padilha, Fagner, Malvino Salvador, Márcio Garcia, Suzana Vieira, Evandro Mesquita , Frota e o Lobão.
Não vi Chico Buarque, Gilberto Gil, Sônia Braga, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Wagner Moura, cantores , cineastas, atores e produtores levantarem uma palavra sequer contra a corrupção.Esta conivência ideológica é lamentável e deseducadora, já que esses artistas poderiam neste momento pensar no Brasil, e não apenas no dinheiro que embolsaram e nos seus egos.
Muitos desses artistas são milionários, e normalmente, enchem casas de espetáculos ganhando boa grana. Eles estão protestando preocupados com os recursos que embolsaram ou poderiam ainda embolsar com a famigerada Lei Rouanet.
Dar dinheiro para o show business é desperdício, porque setores importantes precisam muito mais de recursos. Os museus, centros culturais, o patrimônio histórico , além de manifestações populares espalhadas por todo o país ,dentre outros estão necessitando de uma atenção especial ,e principalmente de dinheiro para funcionarem devidamente.
Não tem nada de engraçado nesta atitude besta de fazer
propaganda negativa de nosso país.
Agora, estão levantando ridículos cartaizinhos em Cannes protestando contra a fusão do Ministério da Cultura com o da Educação. 
Em primeiro lugar, é um desserviço que prestam contra o país levando pra fora nossos problemas internos. 
Fazem, portanto, uma anti propaganda ou propaganda negativa contra seu próprio país. 
Nossos problemas têm que ser tratados e resolvidos aqui por nós , e  não por estrangeiros.




Outra coisa. O Ministério da Cultura deixa de existir apenas como uma pasta independente e passa a integrar o Ministério da Educação e Cultura como uma secretaria,  preservando toda sua estrutura. 
Não vejo nada de errado. 
A sociedade brasileira pediu a diminuição dos 32 ministérios, e assim, foi feito com a fusão de ministérios ficando 23 . Este número ainda é excessivo, no entender de especialistas.
Postar um comentário