Objetivo


sexta-feira, 13 de maio de 2016

ESTAMOS RESPIRANDO MELHOR

A grande maioria do povo brasileiro amanheceu hoje mais alegre e esperançoso. Estamos livres , pelo menos por 180 dias, de uma máquina que vinha solapando a democracia e as finanças do país. Um grupo interessado em usufruir das benesses do poder  e muito pouco interessado no Brasil.
O fanatismo ideológico e religioso cegam a pessoas que passam a construir narrativas próprias e irreais O próximo passo é acreditar naquilo como se fossem dogmas e não admitir qualquer contraditório. Quando sentiram que estavam perdendo forças os apoiadores fanáticos ideológicos construíram  a narrativa de que não haveria golpe. Em nenhum momento seus opositores falaram em golpe, e nunca foi engendrado um golpe por eles. A preocupação era seguir um rito legal e democrático com direito a ampla defesa como aconteceu até agora na Câmara Federal e no Senado.
Como esta tese do "não vai ter golpe' não surtiu o efeito desejado, apenas sensibilizou plateias já conhecidas  de seus apoiadores partiram então para dizer e repetir que a Dilma é honesta. Ninguém a acusou de desonesta. Ela está sendo acusada de fraudes fiscais ou seja desobediência a Lei da Responsabilidade Fiscal que terminou destroçando as finanças do país. Mostrou incompetência administrativa e leniência com a roubalheira na Petrobras, Eletrobras, Eletronuclear, fundos de pensão etc.
Temer chegou com 22 ministros para fazer este governo de transição e tem pouco tempo para demonstrar eficiência. São 10 a menos que a administração anterior. Está prometendo cortar milhares de cargos comissionados, melhor gestão nos programas sociais e colocar as finanças públicas num patamar de razoabilidade.
 É verdade que tem muitos políticos em seu ministério, mas temos que compreender que neste sistema presidencialista  ninguém consegue governar sem uma sólida e ampla base parlamentar.
Cabe no entanto a  estes ministros  arregimentar pessoas capazes para suas equipes, e o aproveitamento dos funcionários competentes de carreira para tocar suas pastas, e consequentemente o país.
Temos portanto, que dar um voto de confiança ao novo governo e estamos vigilantes para qualquer desvio que venha a prejudicar o país e os brasileiros.
Como diz o Tiririca "pior que tá, não fica".
Postar um comentário