Objetivo


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

GREVE DE POLICIAIS SÓ PREJUDICA A POPULAÇÃO

No Espírito Santo este movimento levou
o caos e a violência pras ruas.
A reivindicação de melhorias de salários e  condições de trabalho para as mais diversas categorias,inclusive para os militares são bem vindas. O que não podemos aceitar é familiares de policiais militares tomando as entradas de quartéis para impedir o livre trânsito de ir e vir dos policiais ou de qualquer pessoa que precise se dirigir a uma dessas unidades.
Esta estratégia de colocar os familiares não exime a culpa dos militares amotinados nos quartéis desobedecendo as ordens dos comandos. 
A comissão que eles formaram no Espírito Santo pediu 100% de aumento salarial e a não punição de todos os grevistas. Portanto, duas exigências inadmissíveis. Primeiro, na crise que o país vive nenhum Estado brasileiro ou mesmo empresário tem condições de dar 100% de aumento a seus funcionários. Também, sendo uma categoria militar é impossível não punir os líderes deste movimento ou os que cometeram infração grave.
Será possível aceitar que quatro mulheres impeçam
que policiais de uma unidade inteira não
possam patrulhar as ruas?

RIO DE JANEIRO
Hoje, alguns quartéis amanheceram com familiares de policiais tomando as entradas e impedindo a circulação de viaturas e soldados. São pequenos grupos,que certamente estão ali de comum acordo com os  maridos e filhos.
O caso do Rio de Janeiro ainda é mais grave porque os governos recentes dilapidaram as finanças do Estado, e hoje, o atual governador Pezão está enfrentando graves problemas para aprovar as medidas que o Governo federal colocou como condições para que se enquadre na lei da responsabilidade fiscal, e também na PEC que exige ordem nas finanças públicas. Por outro lado, ele está enfrentando um processo no Tribunal Regional Eleitoral,além de estar citado na Lava-Jato como beneficiário de propina.
Postar um comentário