Objetivo


sábado, 7 de julho de 2012

CIDADE DO SALVADOR - MORADORES INSATISFEITOS

SALVADOR - CIDADE
Sábado, 7 de julho de 2012
Texto e fotos de Reynivaldo Brito

FOTO 1

Estamos vivendo numa das cidades mais mal administradas do país. Esta constatação foi feita numa pesquisa recente da Proteste, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor  que aplicou dois mil questionários em brasileiros de ambos os sexos, com idades variando de 18 a 74 anos, em 21 capitais e verificou que os baianos  estão insatisfeitos principalmente com os segmentos de transporte e saúde. 
FOTO 2                                                                            FOTO3

Salvador 
está entre as duas piores do ranking em cinco das seis categorias avaliadas que foram: habitação, saúde, mobilidade, emprego e segurança. Em educação ficou em 19° lugar. Os moradores demonstraram total descontentamento com a cidade onde vivem e declararam mais de 50% deles, que a cidade piorou muito nos últimos cinco anos.

                                                                                                      

Vamos às imagens que falam mais que mil palavras. Na foto1, ao alto,a situação do asfalto na rua das Hortênsias , no bairro da Pituba. Além dos buracos a pista parece um tobogã. Na foto2, um trecho da Av. Joana Angélica, vemos o asfalto faltando em parte da pista. Na foto3, um terreno baldio, sem passeio, muro e cheio de lixo. Foco de dengue na rua Vale Cabral, na Pituba; nesta mesma rua vemos, na foto 4, abaixo, uma cratera logo na entrada. Na foto 5, logo ao lado,  um trecho da Baixa dos Sapateiros cheio de buracos. 
Podemos percorrer toda a cidade e constatar que a maioria das suas ruas e avenidas está esburacada e os passeios estragados.
Li recentemente uma entrevista do prefeito dizendo que os soteropolitanos vão ficar com saudade dele, quando sair da Prefeitura. Além de ser uma pretensão sem fundamento, mostra a sua arrogância. Ele está, como sempre esteve, alheio ao que acontece na cidade. Sua administração é o retrato do que vemos pelas ruas de Salvador: milhares de buracos nas vias, postos de saúde em situação precária, transporte coletivo é um verdadeiro caos, as escolas municipais caindo aos pedaços, transporte coletivo deficiente, dentre
 muitas outras mazelas.
 Se você chega a Salvador por terra pela BR-324 fica assustado com o tamanho e a desorganização das invasões, que bestamente hoje chamam de comunidades. Na realidade são bolsões de miséria onde as habitações são construídas sem qualquer orientação da Prefeitura e onde a infra-estruturara não existe. Os esgotos correm a céu aberto, as ruas são tão estreitas, que na grande maioria mal dá para um morador passar. Estas invasões, que no sul chamavam de favelas, e que também batizaram de comunidades, existem em Salvador às centenas. Se sua chegada for de avião ai terá uma visão aérea do grande número dessas invasões que se multiplicam sem qualquer planejamento.
Nas ruas dos chamados bairros nobres, que hoje de nobres não têm nada, porque os buracos que se multiplicam nos bairros da periferia neles também proliferam com uma velocidade extraordinária. Basta chover que o asfalto se derreta. Os que são tapados contribuem para que as pistas de rolamento se transformem em verdadeiros tobogãs, com tombos que dão a impressão que você está trafegando numa dessas estradas carroçáveis do interior.
 São crateras de todos os tamanhos que contribuem para tornar o tráfego de veículos mais lento ainda, além de danificar  pneus e jantes. Os automóveis, mesmo os novos, ficam sacolejando como se fossem carros velhos.
FOTO 4                                                                                                                       FOTO 5

Vamos às imagens que falam mais que mil palavras. Na 1ª foto, ao alto,a situação do asfalto na rua das Hortênsias , no bairro da Pituba. Além dos buracos a pista parece um tobogã. Na foto 2, um trecho da Av. Joana Angélica, vemos o asfalto faltando em parte da pista. Na foto 3, um terreno baldio, sem passeio, muro e cheio de lixo. Foco de dengue na rua Vale Cabral, na Pituba; nesta mesma rua vemos, na foto 4, uma cratera logo na entrada. Na foto 5, logo abaixo,  um trecho da Baixa dos Sapateiros cheio de buracos. Podemos percorrer toda a cidade e constatar que a maioria das suas ruas e avenidas está esburacada e os passeios estragados.
Li recentemente uma entrevista do prefeito dizendo que os soteropolitanos vão ficar com saudade dele, quando sair da Prefeitura. Além de ser uma pretensão sem fundamento, mostra a sua arrogância. Ele está, como sempre esteve, alheio ao que acontece na cidade. Sua administração é o retrato do que vemos pelas ruas de Salvador: milhares de buracos nas vias, postos de saúde em situação precária, transporte coletivo é um verdadeiro caos, as escolas municipais caindo aos pedaços, transporte coletivo deficiente, dentre
 muitas outras mazelas.
 Se você chega a Salvador por terra pela BR-324 fica assustado com o tamanho e a desorganização das invasões, que bestamente hoje chamam de comunidades. Na realidade são bolsões de miséria onde as habitações são construídas sem qualquer orientação da Prefeitura e onde a infra-estruturara não existe. Os esgotos correm a céu aberto, as ruas são tão estreitas, que na grande maioria mal dá para um morador passar. Estas invasões, que no sul chamavam de favelas, e que também batizaram de comunidades, existem em Salvador às centenas. Se sua chegada for de avião ai terá uma visão aérea do grande número dessas invasões que se multiplicam sem qualquer planejamento.
Nas ruas dos chamados bairros nobres, que hoje de nobres não têm nada, porque os buracos que se multiplicam nos bairros da periferia neles também proliferam com uma velocidade extraordinária. Basta chover que o asfalto se derreta. Os que são tapados contribuem para que as pistas de rolamento se transformem em verdadeiros tobogãs, com tombos que dão a impressão que você está trafegando numa dessas estradas carroçáveis do interior.
 São crateras de todos os tamanhos que contribuem para tornar o tráfego de veículos mais lento ainda, além de danificar  pneus e jantes. Os automóveis, mesmo os novos, ficam sacolejando como se fossem carros velhos.            FOTO 6                                          


                                         OS PASSEIOS


É uma cidade quase intransitável para os pedestres porque os passeios além de sua maioria ser estreitos estão cheios de buracos e armadilhas. São bueiros sem tampas e buracos imensos, que tornam estes passeios praticamente intransitáveis. Quem mais sofre são os portadores de alguma deficiência física  e mesmo as mulheres que andam de sapatos com saltos altos. Estas vivem se equilibrando, pulando que nem macacos. Foto 7 à esquerda. E a seguinte, Foto 8 ,abaixo, situação do passeio da rua das Hortênsias, na Pituba.


                                                                                                                              
Não existe uma ação permanente da Prefeitura que obrigue os donos dos imóveis a consertar os seus passeios como acontece em toda cidade que tem uma administração que se respeita. Veja você que até mesmo o Governo do Estado contribui com esta situação. O passeio que circunda lateralmente a Biblioteca Central dos Barris está completamente danificado. 
Os terrenos baldios são criatórios de mosquitos da dengue. Na Rua Vale Cabral tem um terreno sem muro que o matagal tomou conta. Hoje serve de mictório público, além de local para se jogar lixo. Como alguns moradores não têm consciência que ali não é depósito de lixo este tal terreno virou um lixão.             


FOTO 7

Atualização: Jogaram um asfalto de péssima qualidade por cima das dezenas de buracos que estavam abertos na rua das Hortênsias, na Pituba. Paliativo que em pouco tempo nada valerá. A rua ficou mais ainda parecendo com um tobogã do Terceiro Mundo!
Já os buracos da rua Vale Cabral, também na Pituba, continuam abertos!.
Postar um comentário