Objetivo


segunda-feira, 18 de junho de 2012

POLÍTICA - APESAR DOS BOATOS, POSSE FOI TRANQUILA EM ALAGOINHAS

POLÍTICA
CIDADE DE ALAGOINHAS - BAHIA
Jornal A Tarde, sexta-feira, 2 de fevereiro de 1973.
Alagoinhas ( Enviados Especiais Reynivaldo Brito. Fotos de Válter Mota)

A Câmara Municipal de Alagoinhas sob a presidência do vereador Domingos Veloso, do Mdb, empossou o Sr. Judélio Carmo no cargo de Prefeito da Cidade, ontem,m às 17 horas. Sete vereadores compareceram à sessão, sendo quatro do Mdb e três da Arena. Toda a Mesa da Câmara esteve ausente, inclusive o presidente, Sr. José da Silva Azi, que tinha sido eleito pela manhã e em seu discurso conclamou os demais vereadores para presenciarem a posse do novo prefeito. Na foto ao lado Judélio Carmo assina o termo de posse.
O clima reinante em Alagoinhas é de total intranqüilidade e são poucos os que se arriscam a sair à noite. A toda hora surgem boatos. A Rádio Emissora da Alagoinhas, de propriedade da família Azi, divulgou, em edição extraordinária , uma notícia de que “ o Sr. Murilo Cavalcanti “acabava de telefonar, que tinha sido solto e uma comitiva deveria chegar a Alagoinhas acompanhando-o.” A expectativa aumentou e muitos se retiram da praça onde fica localizada a Câmara de Vereadores e a Prefeitura Municipal. Mas o Sr. Judélio Carmo foi empossado sem incidentes.

                                              INTRANQUILIDADE

Os vereadores, em número de treze, foram empossados, às 10 horas, em sessão presidida pelo vereador Eliseu Macedo, da Arena, por ser o mais velho. Ao término da solenidade foi eleita a Mesa, cujos membros são todos da Arena, assim constituída: presidente – José da Silva Azi; vice-presidente – Jeferson Vila Nova; 1º.secretário – Antonio Fontes; 2º. Secretário – José Francisco Reis. Ao término da eleição da Mesa, o Sr. José da Silva Azi usou da palavra, conclamando todos os vereadores a participarem da posse do Prefeito Judélio Carmo, do Mdb. Na hora da posse, porém,nenhum dos membros da Mesa compareceu.

                                        BOATOS ORGANIZADOS

Parece existir em Alagoinhas uma central de boatos que concorre para o estabelecimento de um clima de total intranqüilidade. Nos bares, barbearias e nas praças todos comentam a morte do vereador Celso Magalhães. A emissora local se encarregando de aumentar a tensão, divulgando notícias infundadas e de sectarismo partidário.
As entradas e saídas da Cidade estavam vigiadas por soldados da Polícia Militar, que vistoriavam todos os passageiros e veículos e apreendiam as armas que encontram. Nas praças, diversos soldados circulavam, inclusive um jipe do Batalhão da PM, sediado em Alagoinhas. Outros veículos de propriedade particular, circulavam em frente à Prefeitura, sempre lotados de gente, aumentando a expectativa.
Quando a Rádio Emissora de Alagoinhas divulgou a notícia de que o Sr. José da Silva Azi tinha acabado de receber um telefonema procedente de Salvador do Sr. Murilo Cavalcanti, três veículos da Prefeitura Municipal arrancaram de uma só vez com destino ignorado, quase atropelando algumas pessoas que assistiam ao desenrolar dos acontecimentos. Com isto, surgiram novos boatos de que teriam se deslocado para Salvador a fim de conduzir o Sr.Murilo Cavalcanti, em comitiva , para Alagoinhas.

                                                    RECEIO

Devido ao clima de intranquilidade, as pessoas abordadas nas ruas e nos bares se negavam a prestar declarações sobre os últimos acontecimentos. Numa barbearia que fica localizada em frente à Prefeitura Municipal quatro profissionais trabalhavam e todos negaram-se a falar sobre a posse ou qualquer coisa relacionada com a política da Cidade. Um dos barbeiros, que não se identificou, disse que “ não posso informar nada. Não vejo nada. Tudo está calmo. Não gosto deste negócio comigo. Gosto de viver é minha vida na calma”.Embora a negativa , todos os sabem que as barbearias, principalmente as localizadas no Interior, são os locais onde mais se fala e se sabe sobre tudo que ocorre nas cidades.
O estudante Roberto Jorge, que estava sentado em frente à Prefeitura, observando os acontecimentos declarou que “ realmente Alagoinhas está vivendo um clima de intranqüilidade, principalmente hoje, quando todos aguardam a posse de Judélio Carmo. È voz corrente em Alagoinhas que ele não tomará posse.Chegam a afirmar que os vereadores não vão comparecer”. Pouco tempo depois parte das previsões do estudante eram confirmadas.
O funcionário Marcos de Souza também afirmou que o clima é de intranquilidade comentando: “ quando for se aproximando a hora da posse acredito que a coisa vai piorar”. Na foto  à direita o decano da Câmara de Alagoinhas , o sr. Domingos Veloso, que era suplente e assumiu a cadeira com a morte do Vereador Celso Magalhães.

                              DESCONTENTAMENTO

Além do clima de intranqüilidade reinante em Alagoinhas, todo o funcionalismo municipal está descontente com o antigo prefeito Sr. Murilo Cavalcanti, que, inexplicavelmente, atrasou o pagamento dos vencimentos dos funcionários durante quatro meses. Em sua grande maioria, eles recebem salários baixos e possuem famílias numerosas.
Disse o Sr,. Marcos Souza: “Sou funcionário há vários anos e nunca aconteceu atrasar o nosso pagamento durante quatro meses. É realmente , uma situação difícil para nós funcionários. Estamos vivendo de tomar dinheiro emprestado e de comprar fiado nos armazéns. Alguns comerciantes já não estão vendendo mais fiados e algumas famílias de colegas estão passando necessidades”.

                                                A POSSE

A sessão de posse contou com a presença do ex-Senador Josaphat Marinho e do Deputado Estadual Hildérico Oliveira, do MDB. A sessão foi presidida pelo vereador mais velho,, que é o Sr. Domingos Veloso, também do Mdb, suplente do Sr. Celso Magalhães, que foi assassinado. Ao pronunciar seu discurso de posse o Prefeito Judélio Carmo: “Esta terra, de dotes preciosos, não vem recebendo o tratamento administrativo indicado. Sucessivos erros e perturbadores vícios têm obstruído a sua marcha em busca do estuário do desenvolvimento. Encalhada em meio a dificuldades crescentes, Alagoinhas sofre do mal da estagnação econômica, responsável pelo sufocamento de suas lideranças, e sensibilizou-se pela realidade dos problemas cada vez mais graves. O acirramento das disputadas políticas prejudicou a conjugação de esforços
Em busca de objetivos comuns. Assim, ao ser empossados, hoje, no cargo de Prefeito,percebo os males herdados e tenho consciência dos deveres do presente”.
E acrescentou: “ Por isso mesmo, estou empenhado em realizar reformas, planejar e coordenar um programa de Governo, em condições de corrigir distorções e traçar perspectivas de otimismo quanto ao futuro. Haveremos de realizar reformas administrativas na Prefeitura, reestruturação do quadro de pessoal, cadastramento predial e territorial urbano, além de prestações de serviços públicos. Temos um plano municipal de educação e outro de saúde. Reconhecemos que a nossa vitória no último pleito, significa a quebra de uma estrutura que se dispunha a perdurar no comando desta terra. Muitos são os descontentes com a irreversibilidade da situação.”
E finalizou: “ Neste momento, quero reder uma homenagem a dois companheiros que tombaram no caminho da luta, foram eles o nosso querido vereador, pelo Mdb, Sr. Celso Magalhães Dantas, que foi barbaramente assassinado conforme é do conhecimento de todos, e o Sr. Edmilson Alves Figueredo, que tanto ajudou em minha campanha e que também morreu assassinado.

                                           ARENA PRESENTE

O juiz Rui Dias Trindade chegou à Câmara Municipal rigorosamente no horário marcado para a posse do Sr. Judélio Carmo e aguardou mais de meia hora para que os vereadores aparecessem para a solenidade.
Esgotado o tempo regulamentar, o Juiz da Comarca de Alagoinhas assumiu a presidência da sessão quando surgiram três vereadores da Arena que, somados aos quatros do Mdb, que já estavam presentes, formaram a maioria necessária . Imediatamente, o Sr. Rui Dias Trindade passou a presidência da sessão ao mais velho dos vereadores , que é o Sr. Doimingos Veloso, de 72 anos de idade, do Mdb. 
                                                                                           Foto atual da Prefeitura de Alagoinhas.
O que todos estranharam foi a atitude do vereador da Arena, Sr. Elísio de Oliveira Macedo que, na sessão de posse, disse: “Estou disposto a ajudar ao Sr. Judélio Carmo para que faça uma boa administração”.
Falando, antes da posse, à reportagem, disse: “Não sei explicar porque até agora os meus colegas de bancada não chegaram. O que ficou acertado é que todos deveriam comparecer pois o Presidente da Câmara , Sr. José da Silva Azi em seu discurso, convocou nossa presença. Creio que o que está havendo é um pequeno atraso”.
Enquanto assim pensava o vereador Elísio de Oliveira Macedo, toda a Mesa da Câmara tinha se dirigido para Salvador, para prestar,mais uma vez solidariedade ao Sr. Murilo Cavalcanti. Os três vereadores da Arena que compareceram à posse de Judélio Carmo estavam desinformados quanto ao desenrolar dos fatos.

                                                   JOSAPHAT

o ex-Senador Josaphat Marinho declarou que “ assistiria à posse do Prefeito Judélio Carmo de qualquer forma, mesmo se não tivesse sido convidado, porque quando aqui estive pela última vez assumi um compromisso em praça pública com o povo de Alagoinhas, a quem tanto devo”. Quanto às possíveis dificuldades que Judélio Carmo encontrará para administrar , pois conta com minoria na Câmara de Vereadores, declarou: “ para uma administração que se inicia e que é dirigida por um prefeito jovem, o que mais importa é trabalhar, conquistando, através do esforço em benefício da coletividade o clima de paz e de tranqüilidade que a população reclama e merece. Acredito por isso mesmo, que, com o tempo, reduzidas as paixões e sem prejuízo dos compromissos partidários que tenham os vereadores, estes e o Prefeito Judélio Carmo encontrarão o caminho normal e alto que a administração exige,para que as divergências locais não perturbem o progresso do município e a segurança de sua população”.

                            NÃO HOUVE TRANSMISSÃO

Na Prefeitura Municipal de Alagoinhas não houve a tradicional transmissão do cargo. Apenas o então Secretário da Prefeitura, Sr. Clovis Teles, numa atitude apenas funcional, passou os destinos da Prefeitura para o Sr. Judélio Carmo que afirmou: “ Sei que deveria, neste momento, ter uma posse normal. Mas, outros não quiseram que assim fosse e aqui estamos para assumir o nosso posto. Quero reafirmar que serei o prefeito de todos e quero contar com a colaboração de vocês, funcionários municipais”.

Postar um comentário