Objetivo


segunda-feira, 30 de abril de 2012

INDUSTRIALIZAÇÃO - CANDEIAS OS PRIMEIROS FRUTOS DE UM TRABALHO DINÂMICO


Revista Manchete 28 de janeiro de 1978.


Administrar um município considerado problema no contexto da Região Metropolitana de Salvador e acordá-lo para o presente é o grande desafio assumido pelo prefeito de Candeias, o dentista Celino Gomes da Silva. Além das dificuldades urbanas, necessitando de cuidados urgentes, a preocupação maior é quanto à população, constituída na sua maioria por pessoas de baixa renda, que por falta de qualificação profissional assistem ao progresso chegar, sem chances de participação.

A educação, a saúde, o saneamento básico e a implantação de uma política arrojada de uso de solo constituem as metas prioritárias da administração municipal, cujo objetivo final é a valorização humana. A população atual do Município de Candeias, atualmente estimada em 45 mil habitantes, será no ano de 2000 cerca de 165 mil pessoas. Por conseguinte, serão necessários outros investimentos de porte no setor de habitação e infra-estrutura básica.

VOCAÇÃO INDUSTRIAL

Muitos antes do advento do Centro Industrial de Aratu, o Município de Candeias já revelava uma forte vocação industrial, graças ao petróleo e ao gás natural ainda abundantes no seu subsolo. Ao lado de iniciativas da Petrobrás, ao longo dos anos, grandes indústrias ali foram implantadas. Por falta de planejamento, o crescimento desordenado provocou certas dificuldades e a população foi a mais prejudicada.

Estudos realizados pela Conder, órgão que coordena a região Metropolitana de Salvador, enfocaram alguns problemas graves de ordem estrutural que, envolvem Candeias nos seus diversos setores. Por exemplo, a dinâmica de desenvolvimento da população na sede no município, iniciada na década de 1960 por motivos de ordem econômica (Candeias foi o segundo município da RMS escolhido como local de residência da população ligada às atividades petrolíferas); a população antes situada em torno de quatro por cento subiu a mais de seis por cento na faixa de crescimento geométrico médio anual, resultando no caos que hoje se observa, principalmente em face do baixo nível de renda de maior parte do povo, gerando no ambiente urbano a predominância de habitações rudimentares, modestas, sem conforto, com déficit habitacional em Candeias deve ser mais alto entre os municípios baianos.
Praticamente metade da área do município está comprometida com os diversos setores, a exemplo da prospecção petrolífera, reflorestamento, com os empreendimentos do setor de indústria pesada do Centro Industrial de Aratu ou com indústrias privadas de grandes dimensões que exploram o setor petroquímico.
Outros dados colhidos pelo Conder dizem respeito a renda populacional, onde desponta a predominância da classe C, na faixa de zero a três salários mínimos, compreendendo cinqüenta e sete por cento; segue-se a classe B, com renda na faixa de três a onze salários mínimos, o que corresponde a quarenta por cento da população; a classe A, com renda acima de onze salários mínimos, compreende apenas a três por cento.
Com um pouco mais de um ano á frente da administração municipal, o Prefeito Celino Gomes de Silva começa a colher os primeiros frutos de um trabalho dinâmico.

Postar um comentário