Objetivo


sexta-feira, 6 de abril de 2012

RELIGIÃO - 87 ANOS DE MÃE MENININHA

REVISTA FATOS E FOTOS / GENTE
Dia 22 de setembro de 1980
Fotos Gildo Lima

AOS 87 ANOS, UMA LIÇÃO DE FÉ E AMOR

Como em todos os anos, lá estavam Dorival Caymmi,Jorge e Zéia Amado, Carybé e muitos outros amigos. Todos unidos nos cumprimentos à Menininha.                     Às primeiras horas de 10 de fevereiro último, os fogos começaram espocar por todo o Alto do Gantois. Era o início das comemorações pela passagem do 87° aniversário de Mãe Menininha – a yalorixá mais antiga, respeitada e amada da Bahia. Assim como fazem todos os anos, também desta vez lá estavam Jorge Amado, Dorival Caymmi, Carybé e Maria Bethânia, entre outros.
 E a lucidez de Mãe Menininha vinha à tona, indiscutível, a cada um dos amigos que se aproximava. De quando em vez, sábia e risonha como sempre, ela saudava um convidado com uma de suas peculiares frases filosóficas. Ao receber um cumprimento, por exemplo, a yalorixá retrucou: “O que vale é o que sente o coração; não o que sai dos dentes.” Jorge Amado e Caymmi entre os que foram cumprimenta-la.
 A festa continuava animada quando uma filha-de-santo aproximou-se pedindo desculpas por não poder ajoelhar-se diante da Mãe Menininha. Foi quando a própria questionou: “E quem está lhe mandando ficar de joelhos”?
Menininha, que é a yalorixá do terreiro do Gantois desde 1922, demostrou em mais este seu aniversário ter ainda a mesma disposição para a vida. Entretanto, embora bem-humorada, ela não deixou de observar que o peso da idade já não lhe deixa fazer muitas das coisas que gosta.
“Comer feijão, por exemplo, eu tanto amo e não posso mais” – concluiu com seu jeito doce de ser.

Postar um comentário