Objetivo


segunda-feira, 16 de abril de 2012

CARNAVAL - SÓ NÃO BRINCOU QUEM JÁ MORREU

Revista: Manchete 13 de Março de 1982



Com todos os seus hotéis lotados, a Boa Terra viveu um dos maiores carnavais de sua história


Sem querer competir, e na base da descontração, o carnaval da Bahia foi talvez o mais popular de todo o Brasil. Os clubes realizaram seus bailes, mas o clube maior foi mesmo a rua – a imensa passarela de dez quilômetros da zona urbana que se transformou no palco iluminado da animação. Para baiano brincar não é necessário muita coisa: basta um trio elétrico, e quem ainda não morreu vai atrás, pulando, até a festa acabar, embora as festas da Bahia, por tradição, não acabem nunca. Para todos os efeitos, o carnaval da Bahia foi, mais do que uma festa, um autêntico ritual de alegria.
Apesar da chuva, que caiu durante o carnaval, nenhum baiano entrou em fossa. E, em matéria de mulher, a Bahia sempre deu a régua e o compasso. O melhor molho foi a alegria.





Postar um comentário