Objetivo


segunda-feira, 30 de abril de 2012

RELIGIÃO - 1982 O QUE PREVEEM OS MÉDIUNS, VIDENTES E BABALORIXÁS

Revista: Manchete 19 de Dezembro de 1981


A aproximação de um Ano Novo sempre provoca excitação entre todos aqueles dotados de forças paranormais, especialmente os videntes. Manchete recolheu depoimentos dos principais pais-de-santo e médiuns – homens e mulheres – das diferentes regiões do Brasil. Observam-se alguns prenúncios de crise e tragédia em suas previsões. Mas há também um fundo comum positivo: todas elas justificam grandes esperanças para o ano que está chegando.










                                                                                               
                                      PAI EDU: PARA IEMANJÁ, TUDO

Babalorixá de Olinda, considerado o vice-rei da umbanda no Brasil, Pai Edu garante ter recebido da própria Iemanjá, nas praias de sua cidade, as previsões para 1982. Revela que os próximos doze meses serão confiados à proteção da mãe universal, Iemanjá, “que oferece soluções amenas, tanto para os males físicos quanto para as angústias e todos os tipos de sofrimentos morais”. A previsão se estende para o mundo inteiro. Mas adverte:
“O fato de ter Iemanjá como protetora do próximo ano, não nos livra automaticamente de dias difíceis e carregados de perigo. Porque, entre as previsões, está estabelecido que 1982 será também um ano de insatisfações políticas, financeiras e sociais. Também no plano do esporte haverá algumas decepções. Cairão alguns líderes e existe um quadro geral de desamparo e frustração. É preciso muito cuidado no que se refere aos planos para a conquista da Copa do Mundo, na Espanha. A Seleção brasileira sofrerá muitos golpes, tanto no plano interno, quanto no externo. A partir dos primeiros dias de janeiro, seus dirigentes deverão tomar muito cuidado com envolvimentos perniciosos, pois há sinais evidentes de que o futebol brasileiro vai suscitar muita inveja em diferentes setores”.

                                                                                                                   
TIA NEIVA: AS PROFECIAS DE BRASÍLIA

Sacerdotisa maior do Templo do Vale do Amanhecer, em Planaltina, perto de Brasília, Tia Neiva dirige cerca de 15 mil médiuns que se confessam seus filhos espirituais. Seus dons de vidência têm impressionado até os mais descrentes: ela chegou a anunciar a descoberta do ouro de Serra Pelada com mais de um ano de antecedência. Tem uma maneira muito própria de proclamar suas profecias, recorrendo sempre ao famoso Jaguar, nome de um dos médiuns que trabalhavam no Vale do Amanhecer. Depois de pedir a Jesus que esclareça seu espírito e purifique sua doutrina, “que é a bagagem real deste mundo para o outro”, ele garante, “por seus olhos já entregues a Jesus”, que o mundo não vai se acabar em 1982. Mas prevê que a Europa e o Velho Continente de uma maneira geral vão sofrer algumas catástrofes, que o próprio homem será capaz de reparar. Anuncia ainda que em 1982 o Brasil assumirá sua condição de celeiro do mundo e continuarão as descobertas de riquezas ocultas, bem como a exploração intensiva das jazidas de minerais e pedras preciosas. Segundo Tia Neiva, o Brasil sofrerá algumas enchentes, acompanhadas de desabamentos. No final do ano vindouro, haverá um choque violento entre dois países estrangeiros, e, em sua carta, ela pede a Jesus para iluminar os espíritos a fim de que “se ponha fim a este conflito grave que poderá mudar o curso da política”. A vidente anuncia ainda o crescimento das atividades, no Brasil, de uma empresa multinacional. Mas será um crescimento relativamente pequeno e passageiro que não porá em risco nenhum setor importante da economia nacional. Em um determinado trecho de sua carta a Jaguar, Tia Neiva se refere de passagem à tristeza a ao temor com que a maioria dos homens encara a chegada do ano 2000. E, para incitá-los a superar este temor e esta tristeza, ela proclama: “O que os meus olhos alcançam é totalmente diferente, até mesmo o contrário de tudo isto.” E ela fala de “sinais de outras dimensões que convencerão o homem a preparar seu sol interior”. E declara, então, com certa solenidade: “Teremos uma era nova. Vamos pensar numa vida econômica e financeiramente totalmente nova para o nossa Brasil. Pela minha clarividência, teremos, até julho do próximo ano, um grande alívio. É a vontade de Deus que aos poucos vai se cumprindo.”

JOÃO DO BARÁ: ANO FRACO PARA EXU

Camisa vermelha de mangas compridas, turbante prateado, um ar majestoso de rei negro, João Altair de Barros, o João do Bará, segura a bola de cristal com a mão esquerda, enquanto, com a direita, lança os búzios. Depois, vai revelando o que dizem seus orixás, e seu guia, o Exu Rei Sete Malê, sobre o ano de 1982:
“Enquanto não sentarem Exu naquela cidade pernambucana, as brigas entre famílias e os crimes de morte continuarão. Mas 1982 será um pouco mais calmo, porque ficará sob a regência de Oxalá e de Iemanjá. O Brasil será campeão do mundo na Espanha. Dois políticos brasileiros famosos morrerão no correr do ano, um por acidente e outro de morte natural. O aiatolá Khomeini também deverá morrer, porque é dirigido por Exu que, embora ainda resista um pouco, vai perder as forças no próximo ano. Durante a Copa do mundo na Espanha, haverá atentados terroristas e derramamento de sangue, mas os jogadores brasileiros serão poupados. As eleições, garantidas pelo Presidente Figueiredo, se desenvolverão normalmente. Apesar dos banqueiros, a inflação cederá. Até o final de 1982, explodirá uma guerra limitada, mas sem nenhum perigo de conflito nuclear. Os Estados Unidos poderão intervir na América Central, mas a União Soviética encontrará resistências muito fortes se quiser invadir a Polônia. No carnaval do Rio de Janeiro, as vencedoras sairão de uma dentre as três escolas seguintes: Portela, Beija-Flor ou Vila Isabel”.

MIRINHA DO PORTÃO : PAZ COM OXALÁ

O primeiro dia do ano de 1982 cairá numa sexta-feira. Trata-se do dia consagrado a Oxalá, no sincretismo religioso, corresponde ao Senhor do Bomfim, o deus maior da paz e da criação. A mãe-de-santo Mirinha do Portão guarda suas revelações para o último dia de 1981, mas adianta que Oxalá receberá as chaves do ano novo das mãos de Oxóssi (que no candomblé baiano corresponde a São Jorge Guerreiro). Esta indicação significa que o ano vindouro se abre sob uma perspectiva muito positiva, que é a paz, representada pela alvura das roupas de Oxalá. Por outro lado, a vidente lembra que Oxalá é o patrono da fecundidade e da procriação, Senhor das águas doces e orixá purificador por excelência, ele se encarregará de evitar qualquer espécie de guerra nuclear, proporcionando assim uma sensação de paz profunda no espírito dos homens. Oxalá parece sempre apoiado em seu apaxorô, espécie de grande báculo de prata, no topo do qual está pousada uma pomba, símbolo da paz. Do alto de seu trono, Oxalá se encarregará de impedir as rixas entre os homens e, durante todo o ano de 1982, estará particularmente atento á rivalidade que opõe os presidentes dos Estados Unidos e da União Soviética. Para os brasileiros, Mirinha do Portão anuncia um ano muito menos cruel, pois haverá chuva em abundância e as safras serão excelentes. Mesmo assim, é preciso não esquecer que o povo terá de suportar inúmeros sacrifícios.


ZEZINHO DE OSSÃE: O QUE AS FOLHAS ANUNCIAM

O terreiro do pai-de-santo Zezinho de Ossãe, em Jacarepaguá, passou este ano a ser um dos mais frequentados do Rio de Janeiro. Motivo: cumpriram-se á risca todas as previsões que ele anunciara durante um programa de televisão. Zezinho, considerado Rei do Jogo de Búzios, é o primeiro sacerdote dos cultos africanos a ter o exercício de sua profissão reconhecido oficialmente pelas autoridades. Filhos de Ossãe, o orixá das folhas, ele anuncia aqui suas previsões para 1982:

“O Brasil deverá aumentar consideravelmente suas reservas de petróleo, com descobertas de grandes lençóis deste combustível, uma das quais ocorrerá no Rio Grande do Norte. A indústria bélica nacional continuará sua expansão, bem como o programa nuclear brasileiro. Nossos médicos darão um grande passo rumo à cura do câncer. Por outro lado, a balança comercial brasileira encontrará uma ajuda muito forte no aumento das nossas exportações. Um escritor brasileiro conhecido internacionalmente deverá fazer passagem (morrer) no decurso do ano vindouro. Outro escritor, bastante jovem (entre 20 e 30 anos), alcançará enorme sucesso. Também deverão fazer passagem um político antigo e um Babalorixá baiano radicado no Rio de Janeiro, com meio século de serviços prestados aos cultos afro-brasileiros. A Seleção nacional obterá um grande êxito na Copa do Mundo. Problemas sentimentais muito graves irão atrapalhar a vida de um famoso produtor da Rede Global, enquanto desaparecerão dois grandes astros das telenovelas. O presidente Figueiredo terá problemas de saúde, enquanto uma candidata a um cargo político terá uma grande vitória, superando com larga margem de votos seus rivais do sexo masculino, durante as eleições do fim do ano.
O mundo será menos violento. O Aiatolá Khomeini será afastado de suas funções, enquanto desentendimentos muito sérios explodirão no seio da OTAN e da OPEP. Ocorrerão avanços consideráveis no que se refere à descoberta de fontes alternativas de energia, mas o mundo ainda continuará dependendo do petróleo. A União Soviética se defrontará com problemas sérios, tanto na área política, quanto na econômica, e, em um país da América Central, será substituída uma junta militar. A África atravessará um período de grande paz, e uma nação daquele continente conseguirá a independência. Americanos e russos encontrarão uma fórmula de conciliar seus interesses quanto á questão do desarmamento. No Rio de Janeiro e em São Paulo ocorrerão incêndios de grandes proporções. Inundações e enchentes poderão levar cidades do norte do Brasil ao estado de calamidade pública. As influências astrais afetarão essencialmente a cabeça e o coração dos seres humanos, razão pela qual toda e qualquer excesso emotivo poderá provocar desequilíbrios graves no plano da saúde psíquica e mental.”

ZÉ DE OGUM : BRASILEIROS SOFREM MENOS

No Terreiro da Fazenda Vilão, em Salvador da Bahia, o pai-de-santo Zé de Ogum confirma, em sua clarividência, a maioria das previsões de seus colegas de outros estados e de outras roças. Anuncia, como outros videntes, que 1982 será um ano governado por Oxalá. Como em todas as principais liturgias das religiões tradicionais, Oxalá é o pai de todos os deuses, e simboliza essencialmente a paz e a bondade; assim, é claro que o ano vindouro será marcado pela tranquilidade e pela produtividade no trabalho. Para Zé de Ogum, em todos os terreiros de candomblé do Brasil e da África – onde estão guardados a sete chaves os segredos mais importantes dos orixás e de seu relacionamento com seus filhos – a entrada do ano de Oxalá será saudada com grandes festejos e muita alegria. Até a própria representação física de Oxalá na iconografia clássica dos candomblés afro-brasileiros é a de um velhinho sereno que exala bondade. Por isso mesmo Zé de Ogum tem absoluta certeza de que 1982 será um ano de paz e grande ternura, e de que os brasileiros sofrerão muito menos.
Reportagem de Tarlis Batista (Rio), Reynivaldo Brito (Bahia), Nelson Franco Jacobina (Pernambuco) e Marlene Anna Galleazzi (Brasília) Fotos Tadeu Lubambo e Arestides Batista)





















Postar um comentário