Objetivo


quinta-feira, 19 de abril de 2012

CIDADE DE SALVADOR - EXPLOSÃO DE PROTESTOS NA BAIXA DO SAPATEIRO

Revista Manchete 11de fevereiro de 1978
Foto Lázaro Torres



Comerciantes da famosa rua de Salvador acusam queda nas vendas e temem falências em massa.

Foi através da voz de Sílvio Caldas e Bing Crosby na interpretação da canção famosa de Ari Barroso, que a Baixa do Sapateiro ficou conhecida em todo o Brasil e no exterior, na década de 40. Hoje, ela é uma rua que abriga o comércio de vestuário e calçados mais procurado pelas classes menos favorecidas de Salvador.

Ultimamente, a Baixa do Sapateiro, onde judeus e árabes vivem em completa harmonia, passou a ocupar o noticiário dos jornais devido às obras de saneamento básico ao longo dos seus dois quilômetros de extensão e de sua consequente interdição, pelo espaço de cinco meses, ao tráfego regular de veículos, o que provocou uma queda sensível no volume dos negócios e um temor generalizado de falências.

A Baixa do Sapateiro, que já foi tema de canção , tem hoje um aspecto bem diferente

REAÇÃO

Alarmados com o vulto dos prejuízos – as vendas caíram em quarenta por cento, numa primeira etapa de avaliações -, os comerciantes da Baixa do Sapateiro organizaram uma frente ampla para defender suas reivindicações, imprimiram cartazes e panfletos, formaram o Grupo de Diretores Lojistas e desencadearam uma campanha de esclarecimento nos jornais e emissoras de rádio de televisão.
Foram além: lançaram um semanário, em formato de tablóide, onde os fornecedores, frequentadores e clientes das lojas são informados sobre o horário de carga e descarga de mercadoria e o andamento das obras.
No momento estão sendo implantadas na centenária rua de Salvador as enormes manilhas( foto)  que canalizarão as águas do rio das Tripas, que nasce na Ladeira de São Bento, ponto nevrálgico do tráfego da capital baiana .









Postar um comentário