Objetivo


quarta-feira, 9 de maio de 2012

MÚSICA - LUÍS MELODIA FEZ A CABEÇA DOS BAIANOS

MÚSICA 




Revista Amiga / TV Tudo
4 de julho de 1979
Foto Carlos Santana

Mico de Circo - o último disco de Luís Melodia - realmente botou a cidade de Salvador de pernas para o ar. Ao invés do lançamento acontecer num recinto qualquer  ( mais especificamente num ambiente fechado) foi, sim, divulgado nas próprias ruas baianas. Em questão de minutos, o povo, muito curioso, passava a acompanhar aquela espécie de "procissão", encabeçada pelo cantor.

Montado num velho burro que puxava uma carroça, e seguido pelo seu mentor Waly Salomão ( trajando uma túnica branca e óculos escuros, (aparece ao fundo na foto) Melodia desfilou, tranquilamente, até chegar ao Mercado das Sete Portas - onde foi servido um  caruru com sete mil quiabos.

NA RUA, PARA OS MARGINAIS

"Por que resolvemos fazer desse jeito?"- repetiu Melodia, a pergunta de um repórter - "Porque acho que todos os discos costumam ser lançados em situações restritas. Caretas. Este, aqui, em especial, representa uma homenagem aos marginais. Daí o fato de o disco ter que sair, mesmo, nas ruas. Nelas é que os marginais se encontram".
Outra característica muito particular do LP foi a de, no seu processo de elaboração, se dispensarem os arranjos orquestrais - normalmente preparados com antecedência.Em essência, os elementos básicos,para a gravação posterior em estúdio, se conseguiram a partir da brisa dos coqueirais e do clima tropical da ilha de Itaparica. Armando, por assim dizer , um esquema livre de montagem do LP, o compositor, depois, só precisou ordenar, junto à Som Livre, no Rio de Janeiro, todo o material sonoro.
Uma pessoa que também teve grande importância neste seu novo trabalho, foi Jane - a mulher. "Nós discutimos bastante em Itaparica, durante vários meses, cada detalhe que deveria entrar na confecção do disco".

MICO DE CIRCO

Mico de Circo , sem dúvida, guarda a maneira de viver e de pensar de Melodia - suas origens de menino pobre, habitante de morros e favelas. Dentro desta linha de pensamento, Luís adotou, no repertório, algumas músicas já conhecidas e compôs outras. Ele ressalta, ainda, a presença de um compositor, inédito nos meios musicais, Tureco, "que lembra a força expressiva de Roberto Carlos".
Quanto à tão falada mudança, que teria ocorrido na personalidade de Luís Melodia - sobretudo por ocasião do começo da fama ( época do lançamento de Juventude Transviada e Ébano) - o cantor diz que "fiquei confuso, assustado com aquela agitação toda". Na verdade, como não estava habituado ao sucesso, chegou a faltar a alguns compromissos profissionais. Mas, agora, a transa é diferente. Mais confiante e seguro, Luís acabou dando - como reza a gíria - "a volta por cima".
Postar um comentário