Objetivo


terça-feira, 1 de maio de 2012

CARNAVAL - A PRAÇA É DO POVO

Revista: FATOSeFOTOS GENTE, 3 de Março de 1980
Fotos Arestides Batista

Carnaval na Bahia de 1980.


 Milhares de pessoas tomaram conta das ruas de Salvador lideradas pelo trio elétrico.
 Na Bahia todo mundo é passista, "só não samba quem morreu".

 
A folia de carnaval durou cinco dias em Salvador. Ao som do trio elétrico, uma criação baiana dos músicos Dodó e Osmar, os foliões se espalharam pelas ruas, que foram enfeitadas por corações vermelhos, decoração intitulada de Carnaval Com Amor.
O destaque da festa não foram as escolas de samba, pois lá todos são passistas, quer pertençam a escolas, blocos, cordões ou afoxés. O primeiro bloco a chegar foi o Alvorada. Depois dele vieram As Frenéticas, Bafo do Gato e muitos outros. A maioria dessas entidades carnavalescas recebeu subvenção da Bahiatursa. Isso, entretanto, não impediu que elas saíssem livremente pelas avenidas sem cumprir uma programação fixa. O desfile contínuo dos foliões foi presenciado pelo Governador Antônio Carlos Magalhães e pelo prefeito de Salvador Mário Kertsz.
A volta dos bailes ao ar livre em vários bairros da cidade, como Tororó, Pernambués, Brotas e muitos outros esquentou ainda mais as ruas. Os bailes municipais organizados pela prefeitura deram uma oportunidade aos que não conseguiram convites especiais. Nos salões dos grandes clubes estiveram presentes o Ministro Said Farhat, Marta Rocha e Tereza Raquel, coroada rainha do Baile das Atrizes.
Nas ruas o povo dança vestido com mortalhas, um camisolão comprido e colorido. Nos clubes o biquíni esteve em ordem do dia. Abaixo, na Associação Atlética da Bahia, o Governador Antônio Carlos Magalhães rodeado por alegres folionas fantasiadas de palhaço.

Postar um comentário